31.3.05

O Caso dos Objetivos

O ser humano é um bicho bizarro. Ele tem que ter objetivos, senão não vai a lugar nenhum (exceto do quarto para a cozinha, e vice-versa). Ele batalha para conseguir seus objetivos. Aí, quando consegue, fica feliz por, tipo, dois minutos, e começa a bolar novos, senão a vida fica muito chata.
Ou melhor: fica feliz por dois minutos, começa a sentir um vazio esquisito, percebe que o vazio esquisito é causado pela falta de motivos para lutar, e AÍ começa a bolar novos.
Ou seja: não fundo, não adianta nada a gente alcançar nossos objetivos, porque sempre vamos correr atrás de outros. A gente batalha para sair de casa, para arrumar emprego, para casar, achando que, depois que conseguirmos, tudo será lindo e seremos felizes para sempre.
Que nada! Ficamos felizes por, tipo, dois minutos.
Questão: então, para que ter objetivos, to begin with?
Resposta da minha amiga Lili: pra ter o que fazer, ué.

Obs: esse post ficou meio pequeno-burguês. Talvez eu devesse mudar os exemplos de arrumar emprego e casar para montar uma banda e conseguir a iluminação interior.
Obs2: minha amiga Lili sempre vai direto ao ponto.

30.3.05

O Caso do Romance

Tenho lido tantos romances ultimamente, e tão rápido (porque alguns deles são bem mais ou menos e eu não quero perder meu tempo com livros mais ou menos), que as tramas estão todas se misturando em minha cabeça. Mas ontem comecei a ler um realmente bom (o que significa que eu me lembrarei dos nomes dos personagens principais, do título e da trama uma semana depois) e tãããão romântico. A heroína foi estuprada e o herói é impotente, mas eles se aaaamam.
E isso é um romance?! É, sim. Daqui a pouco o herói vai descobrir que "funciona", e já tem pistas de que a heroína tem pavor de sucumbir à paixão mas é por ter presenciado o suicídio do pai. Ou seja, tudo terminará bem.
Como é que eu sei? Ora, é o principal fundamental do romance! No final, tudo termina bem. E sempre tem um prólogo no qual a heroína que todos imaginavam infértil tem trigêmeos. Básico.

29.3.05

O Caso dos Hóspedes

Dani e Marco Antônio estiveram aqui em casa de domingo para segunda. Passaram a noite e se mandaram no dia seguinte. Foram ótimos hóspedes: antes de sair, arrumaram a cama e a cozinha! Desse jeito, toda vez que faxineira faltar, vou convidá-los para uma visita.

O único porém é que carregaram a minha pasta de dente Colgate Total, sem dúvida achando que era a deles. Devolvam!
* * *
O hóspede mais estranho que eu já tive foi o namorado novo de uma das minhas melhores amigas. Nada contra o rapaz, mas é que ele ficava sem camisa o tempo todo. O tempo TODO! No café-da-manhã. Na lanche. Vendo televisão. No clube... ah, é, essa passa.

Minha amiga explicou que, logo no primeiro dia, ela o surpreendeu indo do banheiro para o quarto enrolado na toalha como uma múmia. Como não podia deixar de ser, ela lhe disse que ele podia ficar mais à vontade.

Aí ele liberou geral.
* * *
O melhor hóspede que já tive foi um amigo do Leo que veio trabalhar na Acesita durante um mês. Ele trazia e levava encomendas, tirava a mesa, lavava pratos, comprava sorvete e caixas de bombons. Se ele também lavasse as roupas da casa, dava pra dispensar a empregada.

É claro que eu teria apreciado mais a visita se ela não tivesse ocorrido um mês depois do meu casamento.

28.3.05

O Caso da Felicidade

Li um livro (de auto-ajuda, vá lá) intitulado "Os 100 segredos das pessoas felizes". Pelo menos a base era pseudo-científica: o autor, um psicólogo, reuniu os resultados de 100 pesquisas na área de comportamento para tentar descobrir o que nos deixa felizes ou não.
Ler, ouvir música e fazer trabalho voluntário deixam as pessoas felizes, mas o que deixa as pessoas mais felizes é comparar-se com pessoas que estão piores do que elas.
Achei o último conselho fantástico. É exatamente o que eu dizia para uma das minhas melhores amigas quando ela se sentia não tão bem-sucedida quanto um amigo superdotado e outra que tinha uma coluna em uma revista de circulação nacional:
"Você precisa arrumar uns amigos mais burros."
Eis que minha tese tem comprovação científica.

24.3.05

O Caso dos Oviscos

O Leo teve a ótima idéia de comprar ovinhos de páscoa para distribuir entre os amigos do trabalho. Até aí, tudo bem. A concepção foi boa, a execução é que foi falha: ele foi na Valepel, uma loja tipo O Rei do Chocolate, e descobriu um produto chamados Oviscos: um baldinho de ovinhos de páscoa por 5 reais e 36 centavos. Quantos ovinhos? 88. Preço de cada ovisco: 6 centavos.
Concordo que a responsabilidade também foi minha. Fui com ele, mas não percebi que o rótulo dizia: "ovinhos SABOR chocolate". Não "DE chocolate". E ainda fiz piadinhas: "se fosse minha mãe, primeiro ela compraria uns ovinhos avulsos e levaria para casa pra gente experimentar." Leo: "pra depois voltar e comprar, principalmente se a loja fosse no centro de BH, na galeria Ouvidor. E ia pedir para VOCÊ levar."
Demos risada, nos achando muito espertos. No carro, decidimos experimentar nossa brilhante descoberta. Desembrulhei um e disse para o Leo que dava metade para ele. Ele protestou: "Como assim? Vou ganhar meio ovisco? MEIO ovisco?"
O protesto morreu quando ele começou a mastigar. Ao invés de ser oco, como a maior parte dos ovos de páscoa que conhecemos, o ovisco é sólido. E não é duro como chocolate, mas feito de uma massa COR de chocolate e gosto de... sei lá. Lembra cajuzinho, com um toque de brigadeiro. RUINS.
E o pior é o camada de gordura que fica na sua boca.
Eu: você não pode dar oviscos para os seus amigos de trabalho. Vai perder os amigos.
Leo: hum, posso dar oviscos para os meninos que lavam o carro.
Eu: só se for um pra cada. Se for mais, eles vão comer o primeiro e usar os outros pra bombardear o carro.
Leo: peso de papel?
Hoje de manhã:
Leo: descobri porque esse ovo chama "Ovisco".
Eu: por quê?
Leo: porque ele é viscoso!
Com efeito. Vide abaixo a composição dos oviscos. Crianças, não tentem recriar oviscos em casa sem a supervisão de um adulto.
- açúcar
- gordura hidrogenada
- cacau em pó
- essência de baunilha
- lecitina de soja
Segundo o Leo, o que estraga o ovisco é a soja.

23.3.05

Um ano em Fabriciano

Ontem foi meu aniversário de um ano morando nesta cidade. O pessoal que tomou posse junto combinou de sair mas, claro, apareceram só 3, mais os acompanhantes.(O que terminou sendo bom, porque aproveitamos pra falar mal de quem não tinha ido e bem de quem tinha.)
Fomos em um barzinho que nos disseram que fica lotado nos fins-de-semana. Eu esperava um lugar sofisticado, mas no final das contas era um boteco do lado de um posto de gasolina, como são todos os bares desta região (o que nos leva a desconfiar de um parentesco entre o álcool das bombas e o que os garçons servem, mas deixa pra lá). O boteco era arrumadinho, isso é verdade, e ainda servia chopp de vinho, um suco de uva geladinho que me deixou muitíssimo alegre depois do primeiro meio copo.
Daqui há um ano, meu estágio probatório terá terminado e eu poderei, em tese, voltar pra BH ou ir para qualquer outra cidade que os tentáculos da organização alcancem. O problema é que provavelmente não vou querer sair daqui! Ainda mais depois que descobri esse chopp de vinho.

(PS: não deixem de observar a rima interna presente no título e a delicada aliteração de Ms e Ns.)

Oba!

Minhas melhores amigas vieram no meu blogue e deixaram comments! Uma coisa dessas enche de alegria o coração da gente! (Barango, mas verdadeiro.)
Quero linkar vocês, mas o template pronto que eu escolhi não permite que eu faça isso de maneira ridiculamente fácil. E como eu sou analfabeta em html, já viu... Mas não se preocupem que eu dou um jeito!
O mais legal de tudo é que justamente ontem eu completei um ano em Fabriciano. E elas se lembraram de mim justamente nesse dia!
Detalhes no próximo post.

22.3.05

Alugueres

Ontem recebi a conta do aluguel e, para minha completa indignação, ela tinha aumentado em mais de 10%. Enquanto eu escavava pilhas de documentos em busca do contrato de aluguel e vociferava contra a injustiça do mundo, o Leo observava calmamente e adiantava que devia ser um aumento pelo IGPM.
Descoberto o contrato, verifiquei que, sim, ele previa um reajuste anual de acordo com o índice mais alto fornecido pelo governo. Vociferei mais um pouco e me pus a fazer contas loucas, porque eu tinha certeza que estavam querendo me enganar e me cobrar mais do que o devido.
No final das contas (nos dois sentidos), e com a ajuda do Leo, concluí que eles tinham usado o índice correto, sim, e ainda tinham multiplicado o desconto de 40 reais que eu tenho (filhote de um aumento inesperado de condomínio) por um índice maior do que o IGPM, e maior que a proporção entre o aluguel e o desconto. Ou seja, eu não tinha do que reclamar.
Mas, para não perder o hábito, reclamei mais um pouco. "Mas como assim, tem reajuste anual do aluguel? Meu salário não tem reajuste anual!"
Resposta do Leo: bem-vinda ao mundo real!

Trilha sonora deste post: "Bem-vindo ao mundo adulto", do Biquíni Cavadão.

Obs: muito obrigada aos leitores que aceitaram ao desafio de colocar comments. Mas não era só pra aquele post não, tá? Repitam comigo: "Puxa, como você escreve bem!".

21.3.05

Na semana passada, meu olho direito começou a incomodar. Primeiro achei que fosse a retina se descolando. Depois me dei ao trabalho de ir no espelho olhar e vi que tinha um vermelhinho do lado de fora do olho mesmo.
Liguei para casa (assistência médica gratuita) e pedi conselhos. A Isa recomendou que eu usasse minha própria baba para curar o inchadinho. Segundo ela, é uma simpatia das boas, mas acabei optando pela medicina convencional.
Tentei achar em todas as farmácias daqui o remédio que minha mãe sugeriu, mas nenhuma tinha. Acabei comprando e usando um bactericida que provavelmente é de 5ª geração, ou seja, algo similar a usar uma bomba atômica para matar dois coelhos ao invés de uma cajadada só, ou, como diz um conhecido do Leo, de uma caixa d’água só. De qualquer maneira, o remedinho funcionou maravilhosamente bem e deixou meu olho novinho em folha em 2 dias. Pra falar a verdade, meia hora depois da primeira aplicação o olho já estava melhor.
Moral da história:
1) para quê ir ao médico, se você pode evitá-lo?
2) o cuspe humano é um remédio natural de múltiplas utilidades.

18.3.05

Comments XVIII

Aparentemente, este blogue tem uma boa média de acessos de 12 pessoas por dia. Mas ninguém põe comments! Ninguém põe comments! (Só a Isa.)
Olha, não precisa pensar muito pra colocar um comment. Vou dar aqui alguns exemplos:
- "Puxa, como você escreve bem!"
- "Concordo em número e gênero" (não tem jeito de concordar em grau).
- "Estou com saudades!"
- "Os números da próxima Mega Sena acumulada são 6, 22, 42, 45 e 49" (troque os números exemplificativos pelos verdadeiros, por favor).
- "Puxa, como você escreve bem!"

17.3.05

Minha casa, minha casa

Fomos na loja de móveis mais chique da cidade. Depois de rodarmos de lá pra cá e pedirmos muitas medidas, deixamos "escapar" que já compramos muito lá e onde eu trabalho. Aí o tratamento mudou: ofereceram água gelada e café e contaram que eles fazem projetos sem compromisso. I.e., vão na casa da gente, tiram medidas, conversam conosco, e dão sugestões. Mais legal ainda: emprestam os móveis no fim-de-semana, pra gente ver se gosta!
Ficamos animadíssimos, claro. Chegamos em casa, tiramos medidas, pensamos nos móveis que vimos na loja e concluímos que:
1) a sala de jantar, a estante de livros e o sofá preto terão que ser removidos;
2) no lugar deles, colocaremos uma estante em torno da tv, para guardar DVDs e joguinhos X-Box; uma sala de jantar nova; um sofá-meio-poltrona-meio-cama mega confortável.
Problemas:
1) a sala de jantar, a estante de livros e o sofá preto só podem ser removidos para o quarto das caixas e, last time I checked, tinha caixas lá;
2) todos esses bonitos móveis custam os olhos da cara e, como todo mundo sabe, eu sou muito, muito, muito econômica.
Mas o Leo está me convencendo de que a gente tem um bocado de dinheiro guardado e que é bom gastar de vez em quando.
Olhando pelo lado bom, com a sala de jantar, a estante de livros e o sofá preto, monto um bonito escritório para mim no quarto das caixas. Encosto a mesa na parede e ponho a estante perto da janela; o sofá fica na parede oposta à mesa. Teremos que fechar a porta que dá para a cozinha, e a casa vai perder seu aspecto circulatório mágico, mas é por uma boa causa.
Olhando pelo lado ruim, as caixas vão ter que ir para algum lugar, e o único lugar disponível é o banheiro do quarto das caixas. Ou seja: meus planos de possuir um escritório-suíte foram por ralo abaixo.
Agora, uma das grandes vantagens do empréstimo de móveis da loja é que a gente vai pôr os carregadores de móveis carregando os móveis que a gente não quer mais na sala para fora da sala!
Por outro lado, se a gente odiar a proposta deles e quiser os móveis fora da sala de volta pra sala, duvido que nos façam esse favorzinho...

16.3.05

Hora-extra

O Leo foi na empresa no sábado e no domingo (2 vezes) para resolver pepinos com os servidores. Aparentemente, estava tudo sob controle, e até que estávamos felizes com as horas-extras, que podem ser convertidas em dinheiro ou folgas.
Mas ontem o bicho pegou: o Leo foi em casa só lanchar, e saiu correndo de volta para o trabalho. Otimista, ele achou que lá pela meia-noite estava em casa, mas é claro que as coisas não foram tão bem quanto o previsto e ele acabou chegando em casa às 6 da manhã. Aí vocês acham que ele foi descansar? Nããão! Ele tomou banho, café da manhã, e voltou à labuta. Não sei como é que ele está parando em pé.
Numa nota mais leve, voltei a dormir depois que ele se foi e programei o celular para despertar às 7:15. Sonhei que a minha mãe (!!!) tinha vindo me visitar e ela me acordava, dizendo: vim lá de BH te acordar. Já são seis da manhã... está na hora de levantar e ir para o trabalho!
Fiquei tão impressionada com o sonho que acordei. Chequei o celular e ele tinha se apagado! Olhei no relógio de pulso e era quase 7:15 (na verdade, era sete da manhã em ponto, mas desse jeito fica mais emocionante).
Conclusão:
- minha mãe ainda está vivendo no horário de verão.
- o mundo dos sonhos é um mundo bizarro. Vê lá se minha mãe acorda cedo assim!
- de vez em quando, sonhos fazem sentido.

15.3.05

Cousas 2

Só o Leo tem habilidade suficiente para lidar com o radinho que abre a garagem. Se sou eu, o portão não abre; o portão abre e não fecha; o botão emperra e o portão não fecha nunca mais.
* * *
Acabaram todos os episódios de Lost e de American Idol disponíveis na internet. Li todos os meus pocket books (eram uns 20) e os da Dani (eram uns 15) também. É, acho que agora só falta estudar, mesmo.
* * *
Semi-spoiler de American Idol: após os 12 finalistas terem sido escolhidos, um deles desistiu e aquele que tinha sido eliminado para surpresa minha e do Leo volta. O mais legal é que o o cara que desistiu (devido a "personal motives") era odiado pelo Leo com todas as suas forças.
Comentário do Leo após saber da notícia: "Motivos pessoais? Ah, claro. Ele ficou sabendo que eu não gostava dele e resolveu desistir." Então tá.

14.3.05

Na night

No sábado emendamos uma sessão de cinema com amigos com uma saída na night do Vale do Aço. O primeiro lugar a que fomos era pequeno e estava lotado. Ficamos parados na porta, olhando melancolicamente para dentro, até sermos surpreendidos por uma moça pedindo silêncio e vociferando poesia. Qual não foi nossa supresa ao descobrirmos que era uma noite poética, na qual várias pessoas se revezavam declamando versos - ruins - e fazendo shhhh! para os freqüentadores. Saímos de lá bem felizes, porque escutar poesia ruim E não poder conversar é muito programa de índio.

Sugeriram um lugar chamado "Toca do Chopp" e lá fomos nós. O bar estava fazendo aniversário de 1 ano, o que significava 3 seguranças de terno na porta e convite para entrar: 5 reais para homens e 3 para mulheres. Como é bom morar no interior!

Para combinar com o nome, a Toca era decorada como se fosse uma caverna. O teto e a parede eram cobertos de um material rugoso e cinzento. À primeira vista, parecia aquele papelão com que se fazem caixas de ovos, mas depois que cutucamos o dito-cujo, concluímos que era fibra de vidro.

Apesar da festa, o lugar estava meio vazio, do jeito que nós gostamos. A música estava boa (MPB e um rockzinhos internacionais) e a comida, bem razoável. Para completar, drinques bizarros, inclusive um chamado "Beijo do Vampiro" (salvo engano, foi esse mesmo que a Isa não se decidia a comprar em uma festa e a dona da barraquinha falou para o namorado dela: "compra pra ela, bobo! Depois, você que aproveita!").

Antes de sair, resolvemos conhecer a boate. Foi engraçado: 2 DJs e só um casal dançando, na maior animação!

No fim das contas, a noite foi um sucesso. Chegamos em casa quase 1 da manhã! Take that, Isabela Siqueira (que vive dizendo que nós estamos velhos e não sabemos mais curtir a vida)!

12.3.05

Signs

Também assistimos American Idol antes de todo mundo. Já sabemos quem são os 12 finalistas, enquanto aqui no Brasil parece que ainda estão nos 20.
No último programa, apareceram os signos dos 16 competidores (que foram reduzidos à 12 depois da votação do público). Tem 4 com o meu signo! 4! E nenhum com o signo do Leo. Falei para ele não se preocupar, que eu concentro toda carga artística do casal. Anyway, embora não acredite em astrologia, ele ficou feliz ao descobrir que nem o psycho killer (um tal de Steve Saviol) nem a bigoduda (uma tal de Janay Castine) têm o mesmo signo dele.
A bigoduda saiu, junto com outra que era bonitinha mas ordinária como cantora. O psycho killer não, para nossa tristeza. Quem caiu fora foi um cara que estava se saindo muito bem, com os juízes elogiando e tudo. Vai entender o público americano!
De maneira geral, a gente acerta os que vão ser eliminados. Mas, como a eliminação só acontece de 3 em 3 programas, agora estamos apostando o que o Simon (o juiz mau) vai dizer de cada candidato.
O Leo costuma acertar. Será que isso significa que ele tem um lado mau oculto? :-)

11.3.05

Lost

O Leo descobriu um ótimo seriado novo: Lost, que passa na Sony toda 2ª-feira. Mas como o Leo é uma força na pirataria mundial, é claro que ele não fica esperando os episódios passarem na Sony: ele vai direto na fonte e já baixou 11 capítulos.
Lost é divertidíssimo: tem ação, conflito, suspense, personagens com passados obscuros e uma sugestão de romance. Para vocês terem uma idéia, vi 5 episódios de uma tacada só. E queria mais!
Confesso que, na primeira vez que o Leo me chamou para ver, eu recusei delicadamente, pensando com meus botões: "um seriado sobre um avião que cai numa ilha deserta? Lixo!". Mas acabei sendo atraída por uma cena que mostrava cinco pessoas tentando transmitir um S.O.S e descobrindo que de algum lugar da ilha um pedido de socorro já estava sendo transmitido - em francês! No pedido uma mulher dizia: "estou sozinha. Ele matou todo mundo! Alguém me ajude!". E um dos personagens, com cara de indiano, calculava que, já que aquela era mensagem 17 milhões e uns quebrados, ela estava sendo transmitida há 16 anos!
Irresistível, né? Tudo bem que o cara indiano acabou se revelando um oficial de comunicações iraquiano e até agora, no 7º capítulo, nada mais foi descoberto sobre o misterioso chamado. Mas acontecem tantas outras coisas que dá para esperar numa boa.
A única coisa que ameaça a supremacia de Lost como fonte de divertimento em nossa casa é o X-Box que o Leo comprou ontem. Para quem não sabe, X-Box é um aparelho de video game muito,muito metido a besta. Praticamente um computador. É claro que ele ainda não me conquistou inteiramente, porque a minha coordenação olho-mão é patética, mas tenho que admitir que as imagens são incrivelmente realistas. Ontem brincamos com o jogo de tênis, e se você estiver distraído acha que tem um jogo de tênis de verdade passando na televisão! Os jogadores são copiados dos de verdade. O Guga é praticamente idêntico (a única diferença é que ele é meio fortinho demais). Usa até camisa laranja! E, no final da jogada, você pode apertar o botão "attitude"! Aí o jogador balança a raquete com raiva ou vibra e agradece ao público.
Em suma, isso quer dizer que nos tirar de casa está cada vez mais difícil.

10.3.05

Comments

Os comments ao post anterior foram tão numerosos que merecem um post-resposta. Vamos lá:
- cretone é um tecido pra lá de antigo. Nos livros de José de Alencar as pessoas têm vestidos ou cortinas de cretone.
- azeviche é um material negro. Nos livros de José de Alencar as pessoas têm cabelos ou sobrancelhas de azeviche. Tenho para mim que é um parente rico do piche, mas essa conclusão certamente decorreu do fato de que os dois rimam.
- crizopázio, crizo, heliotrópio, telurita e fabulita são, com toda certeza, minerais. E ainda chuto que os três primeiros são amarelos, sendo que o terceiro é amarelo com certeza. "Hélio", como todo mundo sabe, é sol. Em grego. Ou latim.
- quanto às bodas de papoula, sugiro uma dose de ópio ou morfina. Já as bodas de erva ficam por conta da criatividade da pessoa.
Obs: evidentemente as perguntas do Marco Antônio eram alegóricas, mas eu não resisto à oportunidade de demonstrar minha cultura inútil.

Isa, esse negócio de namoro com tempo oficial e parelelo parece coisa da Dani e do Marco. Mas não se preocupe, que quando vocês tiverem um 5 anos de namoro vocês podem começar a contar a data certa que ninguém vai perceber o buraco de três meses.

9.3.05

Nasceu!

Hoje eu e o Leo fizemos 9 meses de casamento!
O Leo achou que a data não era redonda, mas eu, que trabalho com tributos federais, sendo muitos trimestrais, achei a data redondíssima!
3 trimestres!
Estou tentando inventar um símbolo para 9 meses de casamento. Como bodas de 1 ano é papel, acho que tem que ser uma variação do mesmo gênero. Papelão? Papel craft? Papel de seda?
E respondendo à pergunta da Dani, 2 anos de casamento (que ela fez ontem - o aniversário, não a pergunta) são bodas de algodão. Acho que vocês podem se dar de presente pijamas da Hering!:-) Mas lençóis de algodão egípcio de 400 fios também rola.
E mudando de assunto e meio que ficando no mesmo, ficar noivo/casar no dia do aniversário de um dos noivos é uma baranguice total. Sem falar que é uma péssima idéia: ao invés de 2 dias comemorativos, você fica com 1!
Pior, só se a noiva e o noivo tiverem nascido no mesmo dia E ainda insistirem em casar nessa data.

8.3.05

E na hora do almoço...

Hoje eu senti dor-de-cabeça de manhã, mas procurei na minha bolsa (com a qual eu consigo recriar a civilização ocidental se eu for parar numa ilha deserta) e só achei Dramin, Ponstan e um remédio para gripe desconhecido que eu comprei numa farmácia local. Nada de comprimidos para dor-de-cabeça.
Como o remédio de gripe desconhecido se intitulava analgésico e antitérmico, fui nele mesmo. A dor-de-cabeça melhorou num instante, mas fiquei com um sono... um sono...
Então o Leo, que é um maridinho ótimo, me chamou para almoçar em casa e dormir um pouquinho. Foi muito bom: ele me pegou no trabalho, me deixou dormir, me acordou para almoçar - almoço que ele fez -, me deixou dormir mais e depois me levou de volta.
Ele está se saindo muito bem nesse negócio de casamento!

7.3.05

Tempo e temperatura

Eu ia fazer um post romântico, falando que Fabri está irreconhecível desde a semana passada; que "só chove, choveeee..." (no ritmo da música do Kiko Zambianchi que o Capital Inicial regravou); que "são as águas de março fechando o verão" (observação do Leo que fez muito sucesso aqui na minha seção). Só que, somente para me contrariar, o tempo abriu e começou a fazer um solão de rachar. Aposto que é só porque é segunda-feira e o clubs tá fechado.
Mudando de assunto, minha vida profissional está muito sem emoção. No ano passado teve escolha de lotação, curso de formação, posse, greve, aumento, curso em BH, o primeiro 13º ... agora tá uma mesmice só: até o salário, que era diferente a cada mês, estabilizou.
Estou precisando de novidades: unificação com os auditores previdenciários, aumento de salário, ou pelo o edital do concurso!

4.3.05

IR

Eu e o Leo ainda não entregamos nossas declarações de imposto de renda, mas já corremos, baixamos o programa, botamos só as informações necessárias para saber de quanto vai ser a restituição, e corremos pro abraço.
Vai dar um dinheirinho bom, e estamos torcendo para ficarmos no último lote de restituição, porque ele é corrigido pela taxa Selic e a taxa Selic bate qualquer investimento.
Enquanto isso, vamos fazendo planos sobre o que fazer com esse dinheiro inesperado:
Plano 1) cuidar da casa. Trocar o revestimento do sofá preto (estou entre marrom-café e branco-gelo. Diferença mínima!), comprar uma cômoda para o quarto de hóspedes (pra guardar nossas coisas, não as coisas dos hóspedes), colocar armários no quarto das caixas (que o Leo me fez jogar fora, mas o nome pegou).
Plano 2) comprar dólar. Viajar para lugares nos quais o dólar é a moeda corrente (em oposição ao euro, que não baixa nem que a vaca tussa). Gastar os dólares comprando maquiagem (eu) e eletro-eletrônicos (Leo).
Plano 3) guardar. Colocar em um investimento de longo prazo, superior a 720 dias, para o rendimento ser taxado em apenas 15%. Pegar o rendimento e colocar em um investimento de longo prazo, superior a 720 dias, para o rendimento ser taxado em apenas 15%. Pegar o rendimento do rendimento... vocês entenderam.
Plano 4) todos as opções acima!

3.3.05

Bodas

No sábado passado, os pais do Leo comemoraram 36 anos de casamento. Após uma pequena discussão (o Leo achando que só existiam bodas "de alguma coisa" nos "anos importantes", tipo o 1º, o 2º e os múltiplos de 5, e eu insistindo que existia para todos os anos, sim, e que ele não devia teimar comigo em assuntos que claramente fugiam à alçada dele), desistimos de combinar as flores que íamos mandar com o símbolo das bodas (idéia minha), e escolhemos uma braçada enorme de flores do campo de todas as cores (idéia do Leo).
Por "comemoraram", entenda-se um jantar chiquérrimo, com direito à champagne Mumm, mesa decorada com rosas e velas, massa com recheio de lombo, damasco e nozes, e escalopinhos com bacon. Para fechar, tortelete de bolo de chocolate recheado com musse. Tudo de bom.
Para os curiosos: ainda que tardiamente, descobri que 36 anos de casamento são bodas de cedro. Ainda bem que eu não sabia disso, ou ia me sentir obrigada a mandar, ao invés de flores, uma muda da árvore...
E para aumentar a cultura geral de vocês: bodas de 1 ano são de papel (o que quer dizer que daqui a alguns meses eu e o Leo podemos trocar livros de presente, ou fazer um curso de origami, ou montar um barco de jornal de tamanho gigante na nossa sala!! Sempre quis fazer isso quando eu era criança).
Aproveitando o ensejo, já deixo aqui registradas outras bodas não muitos conhecidas, para eu não precisar olhar de novo quando for a nossa vez:
30 anos: de pérola (ótima ocasião para ganhar uns colares)
40 anos: de rubi ou esmeralda (vide comentário acima)
60 anos: de diamante (vide comentário acima)
70 anos: de vinho (essa a Dani e o Marco vão adorar)
80 anos: de nogueira ou carvalho (alguém já chegou lá?!?)

2.3.05

Mudança de hábito

Depois de duas gripes em duas semanas (revezando com o Leo: quando ele fica bom, eu adoeço, e vice-versa) decidi que hei de modificar minha alimentação. Porque, vocês sabem, só fico doente por causa de minha "baixa resistência" causada pela minha "má-alimentação" (palavras de minha mãe). Pois bem: se esse é o preço da saúde, vou começar a comer verduras (ergh!) e legumes (eca!), pelo menos na hora do almoço.
Ontem comi cenoura em rodelas e folhas de agrião; hoje comi cenoura ralada e couve idem. O nariz ainda entupido da gripe ajuda muito nessa campanha, porque não dá pra sentir muito o gosto das coisas detestáveis, er, saudáveis. O ruim é que não adianta só comer folhas: tem que variar! E não, cenoura em rodela e cenoura ralada não são duas espécies diferentes de legumes!
E ainda tem as injustiças do mundo moderno:
- batata frita NÃO CONTA como legume!
- alface do sanduíche do McDonalds NÃO CONTA como verdura!
- chocolate ao leite NÃO CONTA como porção diária de cálcio!
- pipoca estupenda NÃO CONTA como dose diária de fibras!
É uma porcaria mesmo.