31.3.05

O Caso dos Objetivos

O ser humano é um bicho bizarro. Ele tem que ter objetivos, senão não vai a lugar nenhum (exceto do quarto para a cozinha, e vice-versa). Ele batalha para conseguir seus objetivos. Aí, quando consegue, fica feliz por, tipo, dois minutos, e começa a bolar novos, senão a vida fica muito chata.
Ou melhor: fica feliz por dois minutos, começa a sentir um vazio esquisito, percebe que o vazio esquisito é causado pela falta de motivos para lutar, e AÍ começa a bolar novos.
Ou seja: não fundo, não adianta nada a gente alcançar nossos objetivos, porque sempre vamos correr atrás de outros. A gente batalha para sair de casa, para arrumar emprego, para casar, achando que, depois que conseguirmos, tudo será lindo e seremos felizes para sempre.
Que nada! Ficamos felizes por, tipo, dois minutos.
Questão: então, para que ter objetivos, to begin with?
Resposta da minha amiga Lili: pra ter o que fazer, ué.

Obs: esse post ficou meio pequeno-burguês. Talvez eu devesse mudar os exemplos de arrumar emprego e casar para montar uma banda e conseguir a iluminação interior.
Obs2: minha amiga Lili sempre vai direto ao ponto.

5 comentários:

Anônimo disse...

Devo entender que o casamento com o maridinho querido não te deixou feliz por mais do que 2 minutos? Devo entender que por ser uma pessoa cujos os objetivos é nem precisar sair do quarto para ir na cozinha sou pouco ambicioso? Que absurdo! Quero de volta a senha para voltar a postar neste blog. Afinal é Lud & LEO!

Anônimo disse...

Com tantos casos assim Lud, (Oviscos, Felicidade, Hóspedes, etc), achei um bom divertimento aqui (além dos textos, lógico). Diariamente, junto com alguns amigos e vamos jogar Scotland Yard baseados no seus casos. Ontem descobri que a arma do crime no caso dos Oviscos...foi, sem dúvida....os Oviscos.
Abraços do primo...
Renato Carnaval

DaniMarco disse...

Que livro que é? Me empresta, me empresta?

Lud&Leo disse...

O livro é um dos que você me emprestou, mas não vou contar qual pra não gerar spoilers. Não se preocupe: logo nas primeiras páginas você vai saber que é ele.

Jennyfer disse...

"Puxa, como você escreve bem!"rsrsrs
Não demore tanto a atualizar, há senso de humor aqui...
Jennyfer