27.4.05

O Caso dos (Des)Bloqueio

Desbloquearam meu blogue! Agora posso acessá-lo do trabalho! Não é tudo?
Confesso que ainda estou um pouco receosa. Estou achando que foi um bloqueio de advertência. Ou seja: agora tá liberado, mas comporte-se. Maneire os passeios pela net e tudo ficará bem. Fique voltando ao blogue todo dia e aí, já viu.
Por outro lado, o desbloqueio pode ter sido conseqüência direta da minha atitude de desafio. Meu lema perante os bloqueios foi "Podem me tirar o Blogger, mas para me impedir de navegar na internet, terão que me matar!" Ou bloquear o Google, pelo menos. Já estava me preparando para essa contingência imaginando se eu conseguiria acessar sites chutando nomes prováveis na barra de endereços.
Teoria do Leo: algum chefão ia todo dia no blogue do(a) filho(a) e achou ruim impedirem-no de continuar. É bem possível. Quem sabe a superintendente gostava do meu blogue...?

26.4.05

O Caso das Necessidades

Estou precisando de férias e de um celular novo, nessa ordem. Ambos já foram providenciados, mas o celular eu vou ganhar de aniversário e as férias, só a partir de 16 de maio. Também preciso de uns 20 cm a mais de altura (embora me contente com 15) e cabelos que não caiam, porque os meus estão caindo que é um horror. Quando eu ficar careca vou ter várias perucas coloridas, uma pra cada dia da semana. O pior é que dizem que peruca esquenta pra burro e aqui faz um calor danado.
Antes que alguém me mande ir ao médico, aviso que é isso que farei, na sexta-feira. Ir ao médico é sempre desagradável, mas tem dois pontos altos que não posso deixar de citar: 1) o médico é dermatologista, o que significa pouco sofrimento e pouquíssima chance de uma doença mortal; 2) o médico é em BH, o que significa que vou perder um dia de serviço. Woo-hoo!

25.4.05

Caso do Feriado

O pessoal da loja chique veio aqui com os adornos prometidos para montar o ambiente. Nunca vi adornos mais feios em toda minha vida! Eles se compunham de:
- flores de vidro vermelhas, amarelas e verdes (combinação belíssima!)
- tapete de sisal espetento com barra laranja (não dá pra deitar em cima, pô!)
- tela em tons desagradáveis de marrom e laranja (mega deprê)
- porta-retratos nas cores branco e bonina (muito adequados para meninas de 15 anos)
- gravura de flor razoavelmente apresentável (mas custava 570 reais! 570 reais! e nem tinha vidro em cima da gravura!)
Como sou educadinha, não tive as manha de mandar o povo levar tudo embora no mesmo dia em que trouxeram. Tive que suportar a visão pavorosa durante todo o feriado.
Ainda bem que a Dani e o Marco estiveram aqui para me distrair.

20.4.05

O Caso da Festa

Mandei um e-mail para minha irmã e o marido dizendo que meu aniversário estava chegando e ordenando: "Idéias! Dêem-me idéias!"
Segue a resposta, sem cortes.
Inicialmente, devemos solicitar o fornecimento do número de convidados e ohorário da solenidade. Deve ainda ser informado se o evento será ser formal ou informal, além da idade - mental - da aniversariante. A seguir expomos algumas das nossas inúmeras opções de eventos, à sua escolha:
1- Lanche original "Child Memories": como pratos quentes, são servidos hotdogs ou super panchos - de acordo com a escolha do freguês -, minipizzas e"pipoca estupenda", uma criação original e registrada de Isa ProductionsInc. Como sobremesas, confetes e balas softs, numa linda mesa enfeitada compôsteres dos Menudos - opcional.
2 - "80's Revival": festa temática, com trilha sonora exclusiva, produzida pela Isa Productions Inc. Inclui bufê de chocolate Surpresa, Lolo,Prestígio, Bala Chita, MiniChicletes e Baballoo - embalado em um tubo, não individualmente. Inclui "Amusements": Atari, Genius, Jogo da Vida, Master eaté aquele cubinho louco que ninguém conseguia consertar. Opcionalmente, pode incluir Guarapan e Guaraná Taí, uma raridade no mercado.
3 - "Fondue, fondue": dependendo do clima e da disponibilidade sazonal, épossível oferecer especialidades suíças das mais finas existentes no mercado, incluindo opções salgadas e quentes e doces e quentes. Somente para festas privê. Opcionalmente, e a pedido, é possível realizar uma "Asterixand Obelix go to Helvetia theme party", com figurantes de tranças e calças listradas.
4 - "American Specialties": o party-theme, desta vez, são as especialíssimas criações norte-americanas, com destacado valor nutricional e elevado padrão de sabor. Inclui sandwiches, pizzas, hot-dogs, lots of catchup, e para sobremesa brownies com ice cream e cookies. É servido em mesas combandeirinhas norte-americanas, com uma soprano exclusiva da Isa Productions Inc. a cantar músicas marcantes do cancionieiro do Tio Sam, incluindo oFamoso Hino - com letra.
4 - A pedido, é possível a realização de festas em locais exclusivos, como oRitz - de Paris, obviamente, havendo nesta companhia um integrante comcontatos diretos com o estabelecimento em questão - Eddie's Burguer, Boliches, Casas de Diversões Infantis ou A Favorita.
5 - Também "upon request" é possível a realização de festas no selecionadíssimo ambiente de Coronel Fabriciano, servido o exclusivo "WineChopp", uma criação local.
Aguardamos contato para a comunicação dos requerimentos do cliente, bem comopara o fechamento de nosso contrato de prestação de serviços de primeiralinha.Atenciosamente,Dani Produções e Eventos Ltda.sócio minoritário: Marco Antonio "Ritz" Vieira

19.4.05

O Caso do Papa

Momento histórico neste blogue: hoje vi, ao vivo (pela tevê, mas ao vivo mesmo assim), a posse do novo papa!
Primeiro saiu a fumacinha branca na chaminé. Um pouco depois, todos os sinos da cidade dispararam. Fiquei na expectativa, esperando o papa aparecer na janela. E nada. E nada.
O comentarista explicou que o novo papa ia antes na Sala das Lágrimas, chorar um pouquinho (de felicidade, imagino). Depois, colocar as vestes papais (em tamanhos P, M e G e, suponho, as mesmas desde a Idade Média. Credo). Só então que o cardeal chinelo, quer dizer, chileno, que estava tomando conta da Santa Sé, ia aparecer e falar o clássico "Habemus Papam".
40 minutos depois da primeira fumacinha (o que me deu tempo para sair do Pizzarita, ir para o trabalho, subir até a sala, refletir que a última vez que houbemos papam foi 26 anos atrás, catar a Ana Paula que trabalha comigo, correr para a tevê tela plana de plasma de 50 polegadas - não é ironia não, é verdade - do térreo, sentar e esperar mais uns 10 minutos), finalmente as cortinas se agitaram e o cardeal chinchila, isto é, chileno, deu as caras.
Ao invés de habemus papar logo e acabar com o suspense, ele se dirigiu às dezenas de milhares de pessoas que se acotovelavam no Vaticano para saudá-las em VÁRIAS línguas. BEM lentamente. Nisso eu já estava em clima de final de Copa do Mundo. Duas bandeiras brasileiras na multidão terminaram de incendiar meu espírito cívico. Não tinha como não torcer por um papa brasileiro, ou pelo menos, latino-americano (sendo que argentino não conta. Todo mundo sabe que Deus é brasileiro, então não ia ter diálogo)!
No final, não deu. Ganhou o alemão conservador. Não tenho idéia de quantos católicos existem na Alemanha, principalmente se considerarmos que Martinho Lutero veio de lá, mas tenho certeza que é um número muito inferior ao de católicos brasileiros. Mas, como disse otimisticamente a Ana Paula: "esse aí não dura 15 anos!".
Então, fica lançada a campanha: Roma 2020 - Papa essa, Brasil!

18.4.05

O Caso dos Sofás

Como eu e o Leo estamos em pleno delírio consumista, e a loja chique de móveis está com descontos de 25%, acabamos voltando lá e comprando um sofá em L (em homenagem aos nossos nomes) para substituir os dois que já tínhamos. E aí, o que fazer com os dois que já tínhamos? Meu plano era colocar o preto no quarto de estudos e o bege no quarto de hóspedes. Detesto me desfazer das coisas; sou muitíssimo apegada a elas. Entretanto, meu plano não funcionou muito bem na prática. O sofá preto ocupou tanto espaço no quarto de estudo que a estante ia ter que ficar no teto e a porta para a área teria que ser fechada, acabando com a circulação mágica do nosso apartamento. Já o sofá bege coube melhor no quarto de hóspedes, se desconsiderarmos o fato de que a cabeceira da cama ia ficar debaixo da janela (e das persianas barulhentas), que o armário não ia abrir e a cômoda teria que ser removida para o quarto do computador. Onde ela ocuparia o lugar do criado-mudo, que por sua vez seria levado para... onde mesmo? Diante da realidade dos fatos, o Leo não teve maiores dificuldades em me convencer de que tantos sofás não conseguiriam conviver em paz dentro do nosso apartamento. Então ficou resolvido: vamos vendê-los. Como somos pessoas de sorte, no dia seguinte já tínhamos conseguido compradores! E o melhor é que, como os sofás irão juntos para a casa nova, vão se sentir menos sozinhos! Quanto à odisséia do transporte, ela merece um novo post só para si. Aguardem.

15.4.05

O Caso do Teste

Testando uma nova e revolucionária maneira de postar no blogue por meio de e-1/2s!

O Caso dos Bloqueios

Inacreditável! Só pode ser perseguição. Primeiro, bloquearam uns sites muito inocentes nos quais eu ia de vez em quando. Tudo bem que eu estava fazendo isso no horário de trabalho, mas os sites eram realmente inocentes. Enquanto isso, o povo fica indo nos especiais Big Brother Brasil, mas tudo bem.
Hoje, bloquearam o acesso ao meu próprio blogue! É um absurdo. Eu só ia lá uma vez por dia! E outra para ver se tinha comments. E talvez mais uma para checar o nº de acessos.
Agora o sonho acabou. Para continuar postando diariamente, vou ter que contrabandear os posts por e-mail para o Leo, que vai se encarregar de colocá-los on-line. Pelo menos no emprego dele é ELE QUE FAZ OS BLOQUEIOS! O problema é que esse sistema dará ao Leo completo controle sobre todos os posts, além da possibilidade de censura prévia (Huahuahuahua! Agora quem manda sou eu! - Leo). A liberdade de imprensa morreu!

PS: estão vendo? Serviço público é um negócio sério. Eles realmente insistem que a gente trabalhe as 8 horas que ficamos aqui. O lado bom, apontado pelo Leo, é que agora eu posso falar mal dos meus colegas com toda a liberdade. Eles também não vão poder acessar o blogue!

14.4.05

O Caso dos Casos

Meus leitores andam reclamando que meus títulos são sempre iguais. Aparentemente, eles não compreendem o brilhantismo dos meus posts :-). Explico: os títulos são inspirados no seriado Friends (que deixou todos os seus atores milionários). Todos os episódios de Friends se chamam "Aquele com o gato fugido", "Aquele com a Princesa Consuelo", "Aquele do Dia de Ação de Graças". Então, como vocês vêem, não é só uma repetição infundada. É uma repetição infundada baseada em um seriado milionário!!!

O Caso da Vocação

Sempre achei que toda pessoa nascia com habilidades únicas e talentos particulares. E, na hora de seguir uma carreira, se ela fosse esperta o suficiente e persistente o suficiente, ela ia conseguir descobrir um trabalho que fosse puro prazer.
Bem, eu já fiz um bocado de coisas e nunca consegui descobrir esse trabalho mágico. Até mesmo coisas que parecem divertidíssimas, como trabalhar numa revista de turismo, tornam-se chatas num instante. Vão por mim: só porque ler uma revista é divertido, isso não significa que trabalhar nela, entrevistando pessoas irritantes, brigando com relações-públicas pra eles te arrumarem as fotos, fazendo matérias sobre lugares que você num foi, também seja.
Pelo menos quando você trabalha no serviço público ninguém espera que você se divirta. (A não ser que alguém considere diversão rir do povo bobo que compram recibos frios de profissionais de saúde. Como se ninguém fosse perceber que, no fim do ano, o tal dentista ou médico emitiu, tipo, 2 milhões de reais em recibo.)
De qualquer jeito, vou continuar tentando. Um dia ainda arrumo um emprego que envolva consumo de chocolate, leitura de romances e viagens pelo mundo.
Sabendo de alguma vaga com esse perfil, me indiquem.

13.4.05

O Caso dos Fios

Compramos uma estante linda. Ela fica em torno de nossa tv, que fica em cima de um rack, que tem portas de vidro para o controle remoto acessar os aparelhos que ficam lá dentro. Colocada a estante linda, descobri que o *%#* do arquiteto que planejou o apartamento colocou a tomada e a saída para a antena numa altura ridícula: nem tão baixa que a tv esconda, nem tão alta que a estante esconda.
Aí ficamos com um móvel lindo, com adornos lindos, e os *%#* dos fios atrapalhando o visual.
Instantes depois, descubro que a tomada e a saída do telefone ficam em paredes diferentes (perpendiculares, mas diferentes anyway). Ou seja: mais fios para todos os lados.
Ah, mas o telefone eu posso resolver. É só instalar em outro canto da casa, certo? CERTO?
No quarto de visitas, tomada e saída ficam exatamente no meio da parede. Se eu colocar o telefone lá, impeço a passagem para a cama. No quarto do computador, ficam do outro lado da cama de solteiro, e os fios teriam que passar por cima ou por baixo da cama para alcançar a mesa de cabeceira. É claro que o comprimento é pequeno demais para passar por baixo. No meu quarto, a saída para telefone não funciona.
Solução: enrolei os fios criminosos em torno do telefone, e os enfiei a todos em uma gaveta da estante linda.
Problema resolvido.
(Mas se quiserem falar conosco, liguem no celular.)

12.4.05

O Caso das Modelos

Descobrimos outro reality show americano fantástico: America’s Next Top Model.
Funciona assim: selecione-se 14 feiosinhas com potencial; submeta-as a transformações revolucionárias; coloque todas morando na mesma casa, sem ter o que fazer, além de se compararem umas com as outras. É pau quebrando na certa!
Além disso, todo dia elas fazem várias atividades divertidas, como posar de lingerie na vitrine da La Perna de Nova Iorque/ passar por treinamento militar, correr 14 andares escada acima e fazer uma sessão de fotos na cobertura/ desfilar com sapatos dois números abaixo do tamanho e vestido idem.
Aí os juízes, que são uma ex-top model horrivelmente mesquinha, um fotógrafo britânico que não decide se é gay e um editor de moda inteiramente afetado, decidem quem sai naquela semana.
A teoria do Leo é que eles fazem o programa só pra mostrar como a Tyra Banks (a apresentadora) é bonita. Realmente – perto das feiosinhas ela brilha como uma estrela.
Ok, eu admito – tem umas bonitinhas também. Mas elas nunca são fotogênicas.

11.4.05

O Caso dos Oviscos 2

Atualização do caso dos Oviscos: o Leo levou todos para o serviço dele para distribuir para entre os amigos (ou inimigos, não sei). Com o seguinte aviso: “Oviscos podem ser prejudiciais ao paladar”.

Ontem perguntei a ele como é que estava indo o consumo e ele me disse que os 88 Oviscos já tinham sido papados! Fiquei pasma. Tem gente que tem estômago de avestruz, mesmo.

Ainda bem que Páscoa é só uma vez por ano. Ou o excesso de gordura hidrogenada ingerida inocentemente pelos colegas do Leo ia jogar o número de problemas cardíacos da região nas alturas!

* * *

Fizemos 10 meses de casamento no sábado e só nos demos conta hoje! E olha que eu recebo e-mails de um site me lembrando dessas datas importantes.

Falando em sites, eu recomendo: www.uglyweddingdress.net. Só pra quem entende inglês, mas é hilário: a missão de vida da dona do blogue é localizar vestidos de casamentos caros e horrendos e desmascará-los. De rolar de rir.
Principalmente se você NÃO encontra seu vestido de casamento lá.

8.4.05

O Caso dos Móveis

Ontem nossos móveis novos chegaram! Quer dizer, parte deles. A mesa veio, mas as cadeiras, não. Isso porque elas são revestidas de chenille cor pérola espessura média nº de série 327 e vão demorar mais uns 10 dias para ficarem prontas.
A mesa é quadrada, linda e gigantesca. A circulação da sala ficou totalmente prejudicada. É claro que, quando a estante de livros for removida para o ex-quarto das caixas, atual quarto de estudos, a coisa vai melhorar.
Eu tinha pedido para o pessoal que entregou os móveis para fazer isso para a gente, mas como eu não estava lá, é claro que os caras olharam para a porta, olharam para a estante-monstro, coçaram a cabeça e falaram para a Adriana (minha faxineira):
- vai dar não, véi.
Em vingança, infernizei duas das vendedoras da loja até elas prometerem que dariam um jeito. Como eu sou muito educadinha, entenda-se “infernizei” por supliquei, quando desse, se não fosse atrapalhar, e só faltei pedir desculpas por possuir uma estante-monstro.

7.4.05

O Caso do Restaurante

Morar no interior tem muitas vantagens. Mas mesmo eu, que segundo as más línguas estou em processo de me transformar em cidadã honorária e receber a chave da cidade de tanto que gosto daqui, sou forçada a admitir que nem tudo é perfeito.
O almoço, por exemplo: eu almoço em um restaurante pertinho do trabalho e muito barato (ou pelo menos era, até o terceiro aumento sucessivo). Bom, né? Seria, se os pontos positivos não tivessem acabado por aí. O lugar se chama Pizzarita e parece saído de um filme de terror. Vejam só:
- as toalhas devem ser lavadas uma vez por mês. De janeiro;
- a tv de 14 polegadas que fica escondida atrás das samambaias está sempre ligada na maior altura;
- as samambaias ficam dos lados das mesas e às vezes as invadem, sem o menor respeito pelo cliente;
- os copos tem cheiro de detergente. E marcas de dedos. Por dentro!
- o cardápio é sempre o mesmo: arroz, feijão tropeiro, uma carne cozida em um molho irreconhecível, e um prato que leve queijo e presunto (pode ser bife à parmeggiana, lasanha, ou berinjela -“brejela”, segundo o dono - assada).
Acabo comendo pouco e não bebendo absolutamente nada. O que não deixa de ser bom: dá pra continuar esbelta mesmo sendo tratada a pão-de-ló pelo Leo, que faz pãezinhos assados com queijo e orégano completamente irresistíveis todo dia, duas vezes por dia!
Tá vendo? Interior é tudo!

6.4.05

O Caso dos Descontos

Todo mundo sabe que eu sou pão-dura e desconfiada, mas o que poucas pessoas sabem é que realmente vale a pena sê-lo. Eu e o Leo fomos comprar móveis na loja mais chique da cidade e, por um golpe de sorte, a temporada de superdescontos estava começando. Outras pessoas ficariam felicíssimas com isso e nem se preocupariam em checar coisas pouco importantes como preços e percentuais de desconto, mas eu não consigo.

Nossas aventuras começaram com uma estante composta de torres e rack de televisão. Havia duas etiquetas: a "estante completa" e a "rack". Tínhamos ido lá na semana anterior e a vendedora havia nos informado que, como queríamos comprar só as torres, ela diminuiria o valor "rack" do valor "estante completa". A vendedora nova nem percebeu essa sutileza. Pedi pra ela checar e enquanto isso o Leo me dizia discretamente (pelo menos agora eu o treinei para não me contradizer em público :) que o valor era o maior mesmo.

Minha capacidade de localizar-me geograficamente é péssima, mas a minha memória visual é ótima. Bati o pé que o desconto existia, sim. Usei outra estante como comparação. E a vendedora voltou dizendo que eu tinha razão. Ou seja, escapamos de pagar 660 reais a mais!

Outras pessoas ficariam satisfeitíssimas com a vitória e nem se preocupariam em checar a nota fiscal depois que saíssemos da loja, mas eu não consigo. Escolhemos tudo que queríamos e a vendedora nos deu 18,5% de desconto sobre o total, porque íamos pagar à vista e eu dei uma choradinha. Ficamos felizes e fomos pra casa alegrinhos, mas logo comecei a desconfiar dos valores. Primeiro porque, no ano passado, a supertemporada de descontos dava 23,5%. E depois porque a cômoda que a gente comprou tinha uma etiqueta gigantesca dizendo que ela custava menos do que a gente tinha pago.

Não deu outra: no dia seguinte voltei lá, e eu tinha razão. Não tinham contado para a nossa vendedora que o desconto total era quase de 25% . No fim das contas, consegui de volta 260 reais. Nada mal para um dia de trabalho!

PS: aposto que a Isa vai comentar: "O problema das pessoas que compram móveis é que elas começam a achar que a compra de móveis é um assunto interessantíssimo." É que eu deixei um contário exatamente igual a esse no blogue dela. Só que "pessoas que compram móveis" era "pessoas que fazem regime". E "compra de móveis" era "comida".

5.4.05

O Caso das Caixas

Acreditem ou não, o lendário quarto das caixas foi totalmente esvaziado. Algumas caixas (vazias) foram para o lixo, e outras caixas (cheias) foram para a parte de cima de todos os armários da casa. No maleiro do armário do meu quarto tem um faqueiro pesadíssimo, um jogo de cristais e alguma outra coisa que eu não me lembro mais. Estou morrendo de medo da madeira não agüentar o peso e tudo cair na parte de baixo, esmagando minhas roupas mais queridas no processo.
Tudo isso faz parte de um processo de reorganização de espaço em nossa casa. O quarto das caixas vai se transformar em um quarto de estudo. Minha mesa de jantar dos anos sessenta vai para lá, junto com a estante dos anos cinqüenta (1850, na verdade. Estilo 1850.).
Na verdade, a mesa já foi. Eu e o Leo lutamos bravamente com ela ontem à noite até conseguirmos fazê-la passar por duas portas. Tivemos que desaparafusar dois pés e depois aparafusar de volta. Agora a mesa está encostada na parede, acompanhada de três cadeiras. O que está me deixando louca é que não consigo três cadeiras que combinem! Para quem não se lembra, a mesa é rosa; as cadeiras são vermelha, preta, azul-escuro, verde-claro, verde-escuro e verde-piscina. Por enquanto, as três primeiras é que estão no quarto, e a falta de harmonia tonal está me matando. Sugestões?
Um mesa nova e linda chegará logo em breve, para ocupar o espaço vazio na sala. Hoje eu e o Leo tivemos que tomar café-da-manhã no sofá, usando os pufes como mesa.
Foi legal.

4.4.05

O Caso do Clube

Sempre fui muito empolgada com o fato de ter um clube do lado da minha casa, mas ultimamente tenho tido motivos para odiá-lo.
Motivo 1) ele fica fechado nas segundas-feiras para limpeza, e sempre faz um calor terrível por aqui nas segundas-feiras. É, eu sei que seria pior se ele NÃO fechasse para limpeza, mas não podia ser nas quartas-feiras àmeia-noite, não?
Motivo 2) só podemos levar convidados que moram fora da região do Vale do Aço. O que quer dizer que os amigos que fizemos por aqui NÃO podem ir ao clube. O que diminui em muito nosso poder de atração em relação a novos amigos!
Motivo 3) a demoníaca "Festa dos Mares do Sul", considerada a melhor da região. Foi nesse último sábado. A música começou às 11 da noite e às 5 e meia da madrugada AINDA ESTAVA TOCANDO! Numa altura insuportável! Aí perdi a paciência: fechei todas as janelas e portas da casa e liguei o ar-condicionado do quarto para abafar o ruído. E não é que funcionou? Se pelo menos eu tivesse pensado nisso, digamos, lá pelas 3 da manhã...
Motivo 3.1) a demoníaca "Festa dos Mares do Sul" inutilizou o clube durante todo o fim-de-semana. No sábado, porque estavam montando a festa. No domingo, porque estavam desmontando a festa! Pelo menos segunda-feira é dia de limpeza e eu não vou ter que nadar em uma piscina decorada com latinhas de cerveja e forminhas de salgadinhos durante toda a semana...

1.4.05

Novidades

- Estou grávida!
- Meu cargo foi unificado com os auditores. Virei fiscal e meu salário dobrou!
- O Leo foi promovido a vice-diretor da Acesita, por causa da maneira gaulesa em que trocava "bonjours" e "bonsoirs" com o diretor francês, de aparênciamuito semelhante ao Obelix. O salário dele triplicou!
- Ganhamos na MegaSena!
- Hoje é 1º de abril!