4.5.05

O Caso da Dor

Meu corpo nada em ácido lático. Hoje as dores musculares estão piores ainda. Nem Buscopan adiantou.
Em compensação, parece que meu cabelo parou de cair.
* * *
Mais detalhes divertidos da aula de tênis: o professor (o nome é Glebilson! Glebilson! Mas Bill para os íntimos) achou que eu estava sem graça por não ser tão habilidosa quanto meus irritantes colegas iniciantes, e se ofereceu para me colocar em outra turma, na qual só tem um casal. Segundo ele, todos os dois têm problema de coordenação e a mulher tem uns 45 anos. Pra não dizer 50. Pra não dizer 60.
Psicologia não é o forte do Bill.
* * *
O pior é que eu vou ligar pra ele hoje, dizendo que não vou fazer aula porque estou toda dolorida, e ele não vai acreditar, aposto. E vai ficar contando para todos os futuros alunos: “Uma vez veio aqui uma moça que não conseguia nem acertar a bolinha com a raquete, coitada. Aí ela inventou que não ia voltar porque os músculos ficaram doendo depois de uma mísera aulinha de 40 minutos. Podia ter arranjado uma desculpa melhor, né?”
O único ponto positivo que eu consigo enxergar nessa situação é que eu não me chamo Glebilson.

2 comentários:

Julio Yoshinari disse...

Se os seus dedos não estiverem doendo muito, desafia o Glebilson (putz) para uma partida de Top Spin e mostra pra ele quem manda no pedaço...

* Isa * disse...

E a katie holmes namorando o tom cruise... é, a vida não é justa não(li no terra que esse era o sonho de infância dela! ai!)
Melhoras aí pra vc =)