10.5.05

O Caso do Licor

Ganhei um licor muito chique, muito belga, de aniversário. Ficamos esperando uma ocasião especial para abri-lo. Quando a ocasião chegou, pegamos copinhos especiais, tiramos o lacre com todo cuidado e...
O licor não queria sair da garrafa.
Por um momento, achamos que a garrafa estivesse vazia. Sacudimos a fulaninha com energia, e eis que algo parece se movimentar lá dentro. Sacudimos mais ainda e escutamos um barulhinho líquido. Cheios de entusiasmo, viramos a garrafa no copinho e...
Nada.
Aí virou ponto de honra. Arrancamos a peça de plástico que fica na boca da garrafa, diminuindo a abertura para que o licor saia em pequenas doses. Como não saía nenhuma dose, concluímos que a tal peça era desnecessária. Damos pancadas enérgicas no fundo da garrafa e, finalmente...
Cai uma bola de creme dentro do copinho.
Ué, mas não era licor?
Por algum motivo misterioso, os ingredientes da bebida se separaram. Ao invés de um lindo e uniforme licor, temos bolotas de creme e um líquido transparente cor de chocolate.
Com mais umas pancadinhas, extraímos da garrafa mais um tanto do licor bifásico. Tentamos homogeneizar a mistura, mas não obtivemos sucesso. Jogamos até uma pedra de gelo no copinho pra ver se a água, solvente universal, dava jeito na situação.
Não deu.
Diante de tal cenário, só há uma coisa a fazer: apelar para o liquidificador!
Mas não naquele dia, porque a faxineira só vem duas vezes por semana e eu queria deixar para ela lavar.
O Leo lembrou que temos um mixer, muito mais fácil de limpar. Então, ontem, joguei o licor carésimo no mixer, com mais entusiasmo do que esperança. Para minha surpresa, em 3 segundos as lâminas do aparelho deram jeito na secessão dos ingredientes, transformando-os em uma linda bebida cremosa!
Vamos ver se a cremosidade dura até amanhã.

4 comentários:

DaniMarco disse...

Bléee!! Sorry!

Anônimo disse...

Mas estava gostoso? Estava?
Lili

* Isa * disse...

Acho que o melhor a fazer é licor da Lud para substituir o licor bolhento =)
Ou então comprar uma garrafa de rum lemon que é minha bebida preferida atualmente (desde ontem de manhã, que é quando eu parei de tomar antibióticos rosa)

Anônimo disse...

Esse negócio não tá vencido não?????
Beijos, Christina