20.7.05

O Caso da Chave

Essas coisas só acontecem comigo.
Costumo colocar a chave da portaria e da porta do apartamento num clipe de papel para levar só as duas para a academia. Quando volto pra casa, encaixo o clipe de volta no chaveiro grande.

Ontem, acabei esquecendo essas chaves na porta. E na hora de voltar pra casa...

Cadê o porteiro? A luz da portaria estava acesa e havia um casaco sobre a cadeira, mas o porteiro não estava lá. Liguei para o Leo para perguntar qual era o apartamento da síndica, ou para implorar que ele chegasse logo em casa, mas justamente ontem ele tinha esquecido o celular em casa!

Liguei para o telefone da empresa. Ninguém atendeu. Toquei aleatoriamente o interfone em alguns apartamentos. Idem.

Aí, num momento de desalento, suspirei e me encostei no portão. Ele estava... aberto!

O detalhe é que, se o portão fica aberto mais de 15 segundos, o alarme toca loucamente. E eu estava com certeza há mais de 5 minutos plantada na frente do prédio.

Pra falar a verdade, nem me importei. Entrei correndo no prédio e fui pra casa, já que eu tinha a chave da porta dos fundos na minha bolsa!
* * *
Acaba de me ocorrer que o porteiro, antes de abandonar seu posto pra fazer não sei o quê, deixou o portão encostado e desligou o alarme. Até que foi esperto da parte dele. Se pelo menos houvesse uma maneira de distinguir visualmente o portão trancado do encostado...!

2 comentários:

ayane disse...

Lud, pense que se tivesse como distinguir visualmente, os ladrões poderiam ter idéias, né?
Melhor não!
bjuam

Anônimo disse...

Ei Lud!!

Não sei se ainda dá tempo, mas no seu próprio casamento, que não foi lá tão quentinho assim, tinha uma senhora com um casaco de veludo longo, do mesmo comprimento que o vestido, que ficou lindo e devia estar muito quentinho! Não tinha detalhe nenhum, só um fechamento na cintura, o que proporcionava caimento no mesmo! Por que vc não segue a idéia???
Beijos,

Christina