19.5.06

O Caso das Roupinhas

Continuando na minha campanha “30 anos”, no sábado aproveitei que eu estava em BH e saí com minha mãe para comprar roupas na “capitar”. Fui a umas quatro lojas, achei tudo feio e caro, e finalmente caí na loja mais legal de todas, nas quais as coisas eram bonitas e só medianamente caras. O bom de sair com minha mãe para fazer compras é que ela explora a loja toda enquanto eu estou no provador, e traz tudo de interessante na minha mãozinha.

Pois bem. Comprei uma calça, três blusas, um obi e saí de lá me achando vestida para o outono/inverno. Eu costumo misturar umas peças novas com as roupas que eu já tenho – e eu tenho muitas roupas, porque eu nunca jogo nada fora – e pronto, tá resolvido.

Como toque final, descobri uma bolsa dourada bonita e baratésima numa loja sensacional. Estou até achando o povo lava dinheiro lá. Mas whatever, o importante é que eu estou na moda.

E estou mesmo. Já me falaram: “nossa, a Rebeca da Belíssima tem uma bolsa igual à sua!” e “a Júlia da novela das oito também uma faixa assim!”. E eu, que nem vejo novela e não tenho a mais vaga idéia do que as pessoas estão falando, fico me achando.

* * *
Respostas atrasadas aos comentários passados:
Ana: Eu tenho 28 anos e visto-me como se tivesse 18!!!! E acho que quando tiver 30 ou 40 vou continuar a vertir-me da mesma maneira. Nao estou a imaginar-me vestida "como uma senhora" porque nao tem nada a ver comigo. Vai ser bonito quando eu chegar a velha... ninguem me vai levar a sério!!!

Ana, entendo perfeitamente. Eu sofro (ou sofria) da mesma enfermidade. Mas como fiquei cansada de me perguntarem: “que faculdade você faz?” e “você tem namoradinho?”, resolvi mudar. Quem sabe o que acontecerá com você quando fizer trinta? Mantenha-nos informados!
PS: Adoro o português de Açores da Ana. Eu queria falar assim!
Anonymous: Seria esta uma frase real ou tem um certo sentido pejorativo? Ludmila, você é religiosa, ou segue alguma filosofia? Achei muito cômico! =D Boa semana.
Anonymous, juro que não estou usando a frase "Isso não estava nos planos de Jesus para mim!" pejorativamente; é só para brincar mesmo. Quanto a mim, não sou nada religiosa – estou mais para sou agnóstica. Prefiro ter a ciência como religião... Mas depois de tantas pesquisas científicas mostrando que as pessoas que tem uma fé recuperam-se melhor de doenças e sentem-se menos sozinhas no mundo, estou pensando seriamente em adotar uma... =)

5 comentários:

Anônimo disse...

Ola Ludmila!
O que é um obi??
Ana

Lud&Leo disse...

Ana, obi é aquela faixa larga que se usa para amarrar quimono. Está muito na moda aqui no Brasil. Tem de couro, tecido, tricô, o que você imaginar, e a gente usa com roupas normais (i.e., não-orientais).

Anônimo disse...

Ei Lud!!

Estou me sentindo muito triste, pois engordei de montão final de semana passado! Ganhei um bolão da senhora!!!
Será que a dieta do tipo sanguíneo irá me ajudar???
Beijos,

Christina

Lud&Leo disse...

Não foi bolo, não, Chris! É que o curso foi cancelado em cima da hora! Eu devia ter avisado, mas essa semana foi uma correria só, com os 20 fichamentos da pós para fazer, as burocracias do celular furtado e um aparelho de ginástica que não chega! Me perdoa?

Anônimo disse...

Ei Lud!!!
Claro que perdôo se vc lembrar de mim da próxima vez que vier aqui! rs..rs...
Boa sorte com seu aparelho de ginástica (se bem que, como Joaquim disse, será que vc quer receber ele mesmo?!?)
Beijos,
Chris...