17.5.06

O Caso do Armário Minúsculo

Quando eu morava com meus pais, eu tinha um quarto gigantesco com cinco portas de armário. Gigantes.

Depois que me casei e mudei, tive que me conformar com três portinhas de armário, sendo que cada uma é praticamente metade daquelas a que eu estava acostumada. E sendo que uma delas é de prateleiras e duas prateleiras são usadas para guardar roupa de cama. E isso porque o Leo é bonzinho e usa o armário do outro quarto.

É muito difícil espremer minhas roupinhas no armário minúsculo. Mas ele realmente apresenta uma grande vantagem: toda vez que eu compro/ganho uma roupa, uma das velhas sai, porque senão a nova não cabe.

Então o armário está me curando da minha síndrome do guarda tudo. Porque vocês sabem, eu sou muito apegada às coisas. Então eu ainda tenho calças de dez anos atrás, bermudas da época da faculdade de direito, blusinhas do tempo do onça. Que eu ainda uso de vez em quando!
Mas com o armário microscópico, não tem negócio. Para entrar uma, outra tem de partir.

Resultado: as antiguidades estão perdendo terreno com uma velocidade espantosa.

A moda agradece.

2 comentários:

Federico disse...

Interesting....

:-)

* Isa * disse...

resultado: a isa ganha muitas roupas, para guardar nos ex-armários da lud!
que tal? =)