11.7.06

O Caso da Novela

Não gosto de novelas e não assisto a novelas, mas ontem abri uma exceção: estreou a novela das 8 (que na verdade começa às 9) da Globo, e os primeiros capítulos têm cenas gravadas na Holanda.

Morri de rir. A gente reclama porque em filmes como “Orquídea Selvagem” o Mickey Rourke vai de moto do Rio a Salvador em duas horas, mas as produções nacionais também não estão nem aí para a veracidade dos fatos. As cenas na Holanda foram gravadas em abril, justamente na época em que estávamos lá, mas a novela, não sei porque cargas d’água, começa em janeiro. Resultado: lindas panorâmicas de campos de flores (os narcisos, hiacintos e tulipas que vocês cansaram de ouvir falar nos meus posts de viagem), sendo que eles só florescem em abril e maio. Personagens andando de lá pra cá sob o sol com um único e elegante casaco, ao invés de camadas de roupa, necessárias porque janeiro em Amsterdam é inverno dos bravos (tão bravo que os canais congelam e dá para patinar neles. Mas na novela eles estavam bem líqüidos). Mocinha simpática, que estuda não sei o quê na Holanda e para conseguir 400 dólares tem que chorar com os pais, morando numa casa enorme e cheia de cômodos, sendo que tudo na capital é minúsculo e caríssimo. Para completar, em cima da mesa dela dá pra ver um buquê de tulipas (não duvido que na Holanda tulipas de estufa sejam vendidas o ano todo, mas nossa personagem não tem lá dinheiro para jogar fora).

Agora, o mais hilário foi ver o casalzinho romântico andando de bicicleta no centro de Amsterdam e de repente, em um passe de mágica, aparecer no campo com moinhos ao fundo. Coisa de 30 quilômetros de distância, na melhor das hipóteses.

E depois metem o pau no Mickey Rourke, coitado.

5 comentários:

Camilinha disse...

Mas é uma obra de ficção, vc não pode atentar a este tipo de detalhes. Que graça teria se eles não mostrassem as belíssimas flores?

Ah, deixa a preciosidade para a trama: quem matou quem, se faz sentido a fulana ser irmã da beltrana, etc e tal.

Pode relaxar e assistir à novela. Assim como o Chaves, são programas que exigem mínimas taxas de concentração e servem para relaxar a cabeça.

;-)

Anônimo disse...

Hauhauaha sabe que vendo essa cena do apartamento da personagem, em que ela falava pelo telefone com os pais, eu me lembrei de vc? Pensei "Vou perguntar pra Lud se faz sentido uma menina que chora por 400 dólares morar num apto desse! Será que é tão barato assim morar bem lá?". Mas minha teoria é de que a personagem leva uma vida dupla, trabalhando naquele bairro da luz vermelha (é esse o nome?) e faturando um extra. Bjo!

Anônimo disse...

Er... Assinado: Lili ;-)

* Isa * disse...

voltei à ativa...
www.conhaquedecereja.blogspot.com
a mãe me contou esse post inteirinho antes de eu ler... =D
bjs!

Lud&Leo disse...

Camilinha,
é uma obra de ficção, mas peralá! Custava a novela começar em abril, para os ciclos da natureza serem respeitados? (Credo,que resposta mais ecológica.)
Lili,
concordo com você. Ontem prestei atenção e descobri que o apto da moça é na verdade uma casa-barco! De qualquer jeito, não deve ser barato.
Isa,
fiquei com preguiça de escrever e-mail e transformei o post em um deles =).