24.8.06

O Caso da Agência de Viagens

Já me falaram várias vezes que eu devia dar um jeito de ganhar dinheiro com meu conhecimento e entusiasmo a respeito de viagens. Eu estive pensando seriamente no assunto e cheguei a conclusão de que a idéia é boa. Eu podia abrir uma agência de viagens finíssima, ou, melhor ainda, bolar roteiros exclusivos e levar as pessoas comigo.
O problema é que eu teria pouquíssimos clientes, porque eu somente aceitaria quem:

- estivesse disposto a viajar para fora do continente;

- falasse NO MÍNIMO uma língua estrangeira, sendo que espanhol só vale meio ponto;

- prometesse ler todos guias turísticos, livros de arte e romance temáticos que eu indicasse antes da viagem;

- E concordasse em viajar com apenas uma mala.

Está confirmado: eu sou MESMO uma esnobe horrível.

Um comentário:

* Isa * disse...

mas geralmente vc esconde bem =)