10.8.06

O Caso do Acaso

Não, eu não acredito em coincidências, nem em sinais, nem em destino. Acho que a realidade humana é tão complexa que uma hora vai acontecer alguma coisa que tenha relacionamento com outra, e isso sem que haja uma divindade superior ordenando as vidas dos pobres mortais. Também acho que, quando ocorre algo e a pessoa conclui que aquilo era necessário para que ela encontrasse seu caminho, é ela que está dando significado a um fato aleatório, e não o fato que está dando significado à vida dela.

Muito bem. Dito isso, na quarta-feira passada recebi, por engano, um e-mail de serviço cujo remetente era de Ji-Paraná, em Rondônia. No sexta-feira assisti à uma palestra e um dos exemplos era uma pessoa jurídica de Ji-Paraná. No sábado fui à pós e quando chegou a hora das perguntas uma delas foi feita por um aluno de Ji-Paraná.

Alguém aí já tinha ouvido falar de Ji-Paraná? Eu não tinha a mais vaga idéia de que esse lugar existisse (perdoem-me os ji-paranaenses que me lêem).
Como eu disse, eu não acredito em sinais. Mas que no próximo concurso vão querer me mandar para Ji-Paraná e, que, se eu fosse solteira, encontraria um homem alto, bonito e moreno vindo de lá, disso eu não tenho a menor dúvida.

Um comentário:

DaniMarco disse...

Bem, na última semana eu fui aborrecida, por diversas vezes, por um processo em que a pessoa era de Ouro Preto do Oeste, também em Rondônia. Era um tal de ofício para Ouro Preto do Oeste, precatória para Ouro Preto do Oeste, certidão de Ouro Preto do Oeste. Vc acha um sinal em nossas vidas? OU que Rondônia há de conquistar o mundo?