29.8.06

O Caso dos Copos D’Água

Finalmente, finalmente li em uma revista que esse negócio de que todo mundo tem que beber oito copos de água por dia não passa de lenda urbana. Sempre achei que fosse a maior bobagem, porque:

1) cada um tem um tamanho e um peso diferente, então o mesmo tanto de água para todo mundo não faz sentido;

2) quando a gente precisa comer, a gente sente fome; então, a lógica é que, quando a gente precise beber, a gente sinta sede. E não que já estejamos desidratados, como se alardeia por aí.

Melhor do que isso, só quando a mesma revista falou que pele oleosa não precisa de hidratante. Aí mandei um e-mail nesse sentido para outra revista que deverá permanecer sem nome – ok, foi a Nova – e a editora EM PESSOA me ligou para brigar comigo e dizer que o óleo da pele não tem nada a ver com hidratação, porque o que hidrata é água.

Moral da história: não acreditem em tudo que vocês lêem por aí. Só no que vocês lêem por aqui, é claro.

Um comentário:

DaniMarco disse...

Por nada não, mas eu queria ver como as pessoas ideais acham tempo e espaço no estômago pra comer e beber tudo que eles falam que você deve: oito copos de água por dia, cinco porções de frutas, oito de verduras, peixe por causa do ômega 3 (agora já tem até ômega 6), nozes e castanha do pará por causa do silício ou o que o valha, não sei quanto de fibra, uma taça de vinho por dia, três porções de laticínios (sem gordura, por favor), azeite, tomate, porções de pães e massas, preferencialmente integrais, etc., etc. E que hora esse povo faz os exercícios aeróbicos prescritos? (nem vou perguntar trabalha e dorme, que isso é dispensável). Afe!