10.10.06

O Caso da Pregui

Quando comecei a fazer pós-graduação aos sábados, no começo do ano, eu acordava com a maior empolgação, arrumava minha pastinha, pegava minha carona, gastava meia hora para chegar, e assistia a 9 horas de aula sem piscar, gravando tudo. E ainda torcia o nariz para um povo que ia a uma aula sim, uma aula não, e sempre saía mais cedo.

Corta para o final do ano. Aos sábados, eu acordo de muita má-vontade, me arrasto até o carro, mastigo chiclete o tempo todo para não dormir, deixo o gravador em casa porque não tenho mais paciência de escutar as aulas de novo, racho fora quando começam as perguntas de fim de aula, e quando marcam uma aula extra para um domingo, eu não vou MEESMO.

Demorou um pouco, mas fui vencida.

5 comentários:

DaniMarco disse...

Cê tem mais o que fazer no fim de semana, né?

Anônimo disse...

Depois de dois cursos de graduação, aguentando calouro chato e tudo mais, você merece sair mais cedo e faltar as aulas de domingo....

Christina

* Isa * disse...

picaretaaaaaaaaaaa =D

Karla Patrícai (que estudou com vc na UFMG) disse...

Ei, Lud!
Eu tb fiz assim. Vim de BH para São Paulo para fazer uma pós que tb era aos sábados. No início acordava sem ajuda do despertador, não saía às sextas. Todos os meus trabalhos estavam em dia. Depois... As aulas já terminaram, mas demorei horrores para entregar todos os trabalhos e ainda nem comecei a monografia que deve ser entregue em dezembro. Mas agora que não tem mais aula meus sábados ficaram mais vazios e eu morro de saudade da turma. Vai entender...

Karla disse...

é Patrícia. Não sabe nem mais digitar. Rs...