29.1.07

O Caso do Sistema Cardiovascular II

Reclamei com uma colega de trabalho – que nada muitos mil metros por dia e completou a volta da Pampulha sem treinar – da minha incapacidade de correr (isto é, trotar) mais de um minuto seguido e ela respondeu, enigmaticamente:

“Isso muitas vezes é coisa da cabeça.”

Eu disse que um cardiologista já tinha diagnosticado o meu excesso de batimentos cardíacos como uma característica do meu organismo e ela deu outra resposta ao estilo Oráculo de Delfos:

“Sempre desconfiei que você não respira direito.”

Indignada e disposta a provar que ela estava errada, totalmente errada, que o meu corpinho é frágil e que eu possuo limitações orgânicas, fui correr com o Leo no sábado de manhã.

Corri 30 minutos, com um único intervalo de dois minutos de caminhada entre dois períodos de 15.
Estou chocada até agora.

Um comentário:

* Isa * disse...

miraculosa, essa colega sua.
mantenha-a longe de mim.
=D