7.2.07

O Caso das Modas

Lembro-me muitíssimo bem de ter reclamado com minha amiga Lili, no ano passado, que eu não entendia a nova moda das bermudas. E a Lili me respondeu que ela, ao contrário, estava adorando.
Pois é: agora eu sou a orgulhosa proprietária de duas bermudas que eu uso para trabalhar e passear. E eu também adoro.
Diga-se de passagem que as peças em questão não são shortinhos bufantes super-crescidos, nem bermudas ciclistas mega-justas e curtas. Não, não. São bermudas de tecido encorpado e corte reto que chegam abaixo dos joelhos. Elas são mais frescas do que calças e tão compostas quanto.
A verdade é que eu tenho uma relação conflituosa com a moda. Toda vez que vejo um lançamento, torço o nariz. Aí, umas semanas depois, após eu ter visto a novidade em diversas cores, modelos e variações, começo a me acostumar. Ás vezes até gosto. E de vez em quando até compro.
Mas tem coisa que não dá para engolir. A revista Estilo do mês passado trouxe um especial sobre macacões. Ah, os macacões. Difíceis de vestir, difíceis de combinar, difíceis de assentarem bem. Fáceis de lembrar que você os usou uns dias atrás. Escondem a cintura, achatam o peito, realçam os quadris.
Espero permanecer imune aos macacões.
É só a minha amiga Lili não falar que ela está adorando.

Um comentário:

Anônimo disse...

Tb estou imune à moda dos macacões, amiga! Agora estou adotando o short, até para trabalhar - além das bermudas, é claro. Estou me sentindo no Rio. Vem me visitar, Lud! Vem no carnaval! Bjo!
Sua amiga Lili