14.6.07

O Caso do Sapateiro

Descobri um negócio fantástico: o sapateiro.

Você leva pra ele os seus calçados gastos e desbotados, pede para pintar e trocar o salto, paga quinze reais e voilà: um par de sapatos novos.

O que eu levei era lilás e virou preto, mas pretendo ser mais criativa das próximas vezes. Se a gente se distrai, começa com um tanto de sapatos coloridos e alegres termina com todos eles escuros e fúnebres. Tenho é que descobrir quão boa é a cobertura da tinta para sapatos. Duvido que ela consiga transformar sapatos marrom-café em branco-gelo, mas quem sabe chocolate em roxo, oncinha em verde, bege em coral?

Minha próxima vítima será um par caramelo novinho que é sem graça que dói. O plano é deixá-lo vermelho como as botas de Supergirl da minha irmã mais nova. E lembram a bota marrom que foi transformada em preta com ajuda de muita graxa e muque? Também tá na fila.

Com a vantagem de não ir perdendo a cor no meio da viagem e terminar em um degradé suspeitíssimo.

3 comentários:

* Isa * disse...

oba! vamos lançar a moda das botas vermelhas! =)

ana clara disse...

ele pinta!? o.O
com que tinta?!

eu tenho um ali de 15 anos horrendo. tou louca pra por um lilás, roxo ou verde musgo nele...
tu sabe me dizer que tinta é essa que não larga!?

=)

Lud&Leo disse...

É tinta para sapatos! =)
Não estou inventando, existe sim.