4.6.07

O Caso dos Jogadores de Tênis

Estamos na época do torneio de Roland Garros, o aberto de tênis da França. Passa na tevê a cabo e eu e o Leo acompanhamos. Eu não gostava de assistir a jogos de tênis, porque eu não entendia direito o que estava acontecendo. Depois que o Leo me explicou as regras e eu tive umas aulas, passei a entender não só o jogo mas também o grau de dificuldade dos lances. Fiquei fã.

Eu torço para o Nadal, o espanhol que é um dos melhores jogadores em quadra de saibro de todos os tempos (pelo menos é o que o site dele diz), e o Leo torce para o Federer, o suíço que é um dos melhores jogadores em qualquer tipo de quadra de todos os tempos (pelo menos é o que a imprensa especializada diz). Todos os jogadores de tênis são fregueses do Federer – menos o Nadal.

Eu não tenho nada contra o Federer e até torço para ele de vez em quando, mas o Leo odeia o Nadal com todas as forças. Ele acha o Nadal mascarado, convencido, antipático e feioso. Já eu acho o Nadal animado, dinâmico e persistente.

E gosto das calças capri que ele usa.

Nenhum comentário: