19.12.07

O Caso do Emocional

Hoje fui a outro médico resolver outro problema e, de novo, ele me falou que é emocional. Mas esse médico não se contentou com isso: ele também insistiu que eu fosse a um psicólogo, indicou um colega de prédio e me lascou o cartãozinho dele.

Fico na dúvida se eles angariam clientes um para o outro ou se realmente minha lataria psíquica está precisando de uns retoques. Já fiz terapia antes e achei ótimo, porque durante uma hora da semana eu podia falar incessantemente sobre meu assunto preferido: eu mesma. Na época, a terapia resolveu os problemas que eu queria resolver, mas eram questões internas. Acho difícil fazer a ligação entre minha queda de cabelos e minha labiritinte com conflitos mal-resolvidos de infância (ou fato similar).

Por outro lado, estou cansada de bater ponto nos mesmos médicos e tomar os mesmos remédios a cada semestre. Talvez o psicólogo ajude. Se não ajudar, pelo menos terei passado umas horas agradáveis falando incessantemente sobre meu assunto preferido.

Nenhum comentário: