1.2.08

O Caso do Kit Inverno

Já viajei para diversos lugares frios, com temperaturas próximas ou abaixo de zero, e sempre me defendi bem. A técnica: camadas e camadas de roupas, duas meias-finas, cachecol tricotado pela vovó do Leo, chapeuzinho de pele da mamãe. Funciona, mas você precisa de vários minutos a mais de manhã para organizar a ordem dos níveis de tecido. E, toda vez que você entra em um ambiente aquecido, precisa de um tempinho para se livrar do excesso de pano.

Portanto, aproveitei a viagem à Nova Zelândia para me profissionalizar no negócio. Finalmente adquiri as famosas roupas de baixo térmicas – blusa de mangas compridas e calça justa que prometem substituir as camadas de camadas. Também adquiri cachecol e luvas de fleece (aquela flanelinha que esquenta pra burro, é leve, fina, e, principalmente, não solta fiapos, como as peças de lã adoram fazer). Some-se a isso as botas de montaria e agora sim, estou equipada.

Falta só a viagem para o lugar frio.

Nenhum comentário: