10.3.08

O Caso da Ioga II

Finalmente criei vergonha na cara e fui assistir a uma aula de ioga.

Fica a dois quarteirões da minha casa. O lugar é lindo, todo indiano. A professora é supersimpática. A música é uma delícia. A aula é ótima.

Dito isso, ioga não tem nada a ver comigo.

Pra vocês terem uma idéia, a sessão termina com meditação. Todo mundo concentrado, o mantra rolando à toda, e eu morrendo de vontade de dançar.

4 comentários:

Anônimo disse...

Lulu, como disse-lhe a psicóloga, você deve trabalhar melhor a sua feminilidade, fazendo-se uma leitura desta nos moldes em que comentei no post passado.

Falando em cultura indiana, aqui em GV abriu um ótimo restaurante indiano. Não tem mantra e a sessão normalmente termina com uma sobremesa. Uma delícia. Estou freqüentando e sempre que saio de lá sinto que minha alma deu alguns passos em direção ao nirvana.

Anônimo disse...

Lulu, como disse-lhe a psicóloga, você deve trabalhar melhor a sua feminilidade, fazendo-se uma leitura desta nos moldes em que comentei no post passado.

Falando em cultura indiana, aqui em GV abriu um ótimo restaurante indiano. Não tem mantra e a sessão normalmente termina com uma sobremesa. Uma delícia. Estou freqüentando e sempre que saio de lá sinto que minha alma deu alguns passos em direção ao nirvana.

Delilah disse...

ahahhaha
marco, vai no meu blogue =)

Anônimo disse...

Ah florzinha, se você se empolgou tanto com a música a ponto de querer dançar, vá fazer aulas de dança. Tu tens inúmeros ritmos a escolher: hip hop, ballet, salsa, samba, salão, tango, etc etc.
Boa sorte =]