22.4.08

O Caso do Runner’s High

Eu e o Leo corremos durante uns bons três meses, mas eu nunca cheguei a sentir o “barato do corredor”. Lembro que doía tudo, que meus pulmões quase explodiam, que meu rosto ficava praticamente roxo de tão vermelho. E que a grande alegria era terminar as quatro voltas, beber um monte de água e me jogar no carro para voltar pra casa.

Li ontem na revista Veja que para atingir o barato do corredor é necessário fazer exercício durante vários meses e que cada sessão de exercício deve ser intensa e prolongada (aproximadamente uma hora). Tá explicado porque eu nunca senti prazer físico – só psicológico – em correr.

Em compensação, minha bicicletinha ergométrica está de volta da assistência técnica. Ela não é mais silenciosa como era antes, mas pelo menos não faz os barulhos histéricos pré-conserto. Ontem fiz bicicleta alegremente vendo televisão e lendo revistas. E lá pelo minuto quarenta senti uma mega descarga de endorfina no meu corpinho!

Espero que seja muito viciante mesmo, e que eu passe a ter uma necessidade física de me exercitar todos os dias.

Nenhum comentário: