16.5.08

O Caso do Método Karina

Tenho uma amiga muito legal chamada Karina. Ela é alegre, animada, gosta de todo mundo e se enturma com a maior facilidade.

Observandoo-a aprendi o que eu chamo de “Método Karina de Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”. Funciona, eu juro. Com ele você conhece pessoas, arruma amizades, sempre tem assunto, faz com que gostem de você em poucos minutos.

O método Karina é simples e brilhante. Ele se resume a um único mandamento: “Faça perguntas!”.

Mas não é qualquer tipo de pergunta, não. As perguntas têm de ser firmes, direcionadas, detalhistas. Se a pessoa cita o filho, você indaga como ele chama, que idade tem, se ele vai bem na escola. Se alude ao carro, você inquire qual é a marca, a cor, se é bom de dirigir. Pergunte mesmo, busque as minúcias, pesquise os pormenores. Faça até mesmo as perguntas que você não costuma ter coragem de fazer (“Mas então você não estava satisfeita com o relacionamento há quanto tempo?”).

Todo mundo gosta de falar sobre si mesmo. Existe um encanto peculiar naqueles que querem saber os detalhes de nossas vidas. Interessante é quem se interessa pela gente!

Minha amiga usa o método por puro instinto, porque ela gosta das pessoas. Eu uso de maneira calculada e fria, quando estou numa situação social.

É sucesso garantido.

3 comentários:

Celinha Inominatus disse...

caramba...
ingenuamente sou assim... e o que acontece? algumas pessoas me pegam pra cristo e contam toda a vida e recorrem a mim outras vezes... agora sei onde erro... obrigada por abrir meus olhos... vou parar de perguntar esses detalhes xD

delilah disse...

heheheh eu já conhecia o método e ele funciona muito bem!
especialmente aliado ao 'Método Lud de agradar pessoas', que também só tem um mandamento -

'elogie! elogie! elogie!'

Nem que seja a ponta do dedão do pé, tem que haver alguma coisa elogiável na pessoa/situação.

Funciona =)

Anônimo disse...

Eu jamais ficaria amiga dessa Karina por tal motivo. Ao contrário, se não há intimidade lenta e gradual é uma forçação de barra ridícula, típica de gente carente e sem noção.Pior que esse tipo de pessoa abunda em repartições. Completamente fora de questão ser seduzida por uma tática de "vizinha de subúrbio" dessas! ECA!