3.6.08

O Caso das Boas Coisas da Vida

A internet é uma perdição. Antes dela, a gente só desconfiava que o mundo era lindo, cheio de hotéis fofos e restaurantes deliciosos. As únicas fontes eram ocasionais revistas de turismo e um ou outro programa de tevê.

Hoje em dia, qualquer destino é desvendado em maravilhosas fotos coloridas na tela do computador. E você ainda encontra comentários, críticas, elogios e reclamações sobre o bed&breakfast mais escondido ao café mais obscuro.

O que dá muita, muita, muita vontade de viajar. E o pior: viajar bem. Ficando em hotéis legais e conhecendo restaurantes bacanas.

* * *

Sim, porque existem várias maneiras de viajar.

Super-básica: você vai de mochila nas costas, fica em albergues e come sanduíches feitos com provisões que você comprou no mercado.

Básica : você fica em um hotel de rede longe do centro mas perto do metrô, tem dinheiro para comprar uns souvenirs e o sanduíche que você come é comprado num McDo ou num café.

Peso médio: você escolhe hotéis muitíssimo bem-localizados mas sem luxo, tem recursos para fazer passeio de barco no canal ou assistir ao show típico, e arrisca restaurantes recomendados pelo Guia Michelin (da categoria “em conta”).

Peso pesado: você fica em hotéis luxuosos, compra em lojas de grife e vai a restaurantes três estrelas Michelin.

A vantagem desse sistema é que uma viagem a um mesmo destino (digamos, Paris) será uma experiência diferente toda vez que se mudar de classe (o que permite que eu continue retornando a Paris).

Por outro lado, embora eu ambicione chegar à última categoria, não sei se terei coragem, mesmo se um dia eu tiver dinheiro, de me promover a ela. Porque uma verdadeira viagem peso pesado custa três vezes mais que uma viagem peso médio. O que significa que você poderia ter feito três viagens ao invés de uma!

Talvez a solução seja fazer um mix das duas: viagenzinha peso médio, com um hotel mais legal nas últimas noites, restaurantes estrelados aqui e ali, e uma comprinha chique (um lencinho Hermès!Uma bolsinha Chanel!) para guardar de lembrança.

* * *

Eu e o Leo tivemos essa idéia há meses, mas o Ricardo Freire a colocou em execução primeiro: viajar pela Europa alugando apartamentos em várias capitais. Em http://viajeaqui.abril.com.br/indices/conteudo/blog/viaje-na-viagem.shtml . Como diz meu cunhado, “Imperdível” (com ênfase no “d”).

* * *

Eu quero muito muito fazer um bonito blogue de viagens, com fotos fofas e comentários pertinentes, mas está faltando... disposição. E o Blogger também não me ajuda.

3 comentários:

delilah disse...

você quer é fazer inveja em nós, pobre mortais... =I
tb quero viajar e NÃO pode ser a trabalho e TEM que ter companhia!

Anônimo disse...

Ei Lud!!

Te recomendo um site para você passear e sonhar com as suas férias peso pesado: http://www.relaischateaux.com/

Tb fico na dúvida em qual categoria é melhor se enquadrar para realizar viagens, mas lugares como esses do site que envio bem que serviriam para a comemoração de alguma boda de casamento, ou seus 40 anos... quem sabe??? :-)

Bjim,

Chris

Camilinha disse...

Bom, meu sonho se resume apenas a morar metade do ano em Paris, 3 meses viajando ao redor do mundo e 3 meses em Sampa.

Ficaria feliz com um apartamento vagamente espaçoso no Quartier Latin, pertinho da Sourbonne e do Jardim du Luxembourg. Eu levaria o meu baby para tomar sol em volta do lago, tiraríamos fotos em frente à Fonte de Médicis e, na volta, compraríamos macarrons no café da esquina... Ai ai ai... Como eu amei Paris...