19.6.08

O Caso das Roupas

Eu sou muito apegada às coisas, e principalmente às minhas roupinhas. Para jogar uma peça fora é um custo. Só quando não serve mesmo ou está acabada mesmo. Ter saído de moda não é razão suficiente – a moda volta, meus amigos, ela volta!

Nem por isso meu guarda-roupa é superlotado. Sou chatíssima para comprar roupa, acho tudo feio e caro. Pelo menos paciência para experimentar eu tenho.

O resultado disso é que eu possuo roupas de dez anos atrás e as uso alegremente. Tenho também umas pecinhas que herdei de minha mãe – outra que não gosta de jogar nada fora. Essas devem ter 20, 30 anos.

E não, eu não ando fora de moda. Com certa freqüência eu ganho – ou compro, com um pequeno esforço – alguma peça para me atualizar. Acho até que eu ando bem-vestida, mais do que uma galera que eu conheço que só usa calça jeans e blusinha.

2 comentários:

Camilinha disse...

Oi Lud, tudo bem?
Bom, eu nunca trabalhei com Direito, minha especialização é em Marketing e Administração.

Como raramente trabalho para editoras, não tenho muita noção desse mercado (que me parece que paga menos). Eu cuido de relatórios gerenciais de produtos e serviços das empresas.

Mas para você ter uma idéia do mercado editorial, entre nesse site aqui.

http://www.sintra.org.br/site/index.php?pag=valores

Qualquer dúvida, escreva para camila_milagre@hotmail.com

Espero ter ajudado!
;-)

delilah disse...

relatórios gerenciais! relatórios gerenciais! camilinha, a gente faz a mesma coisa e eu não sabia! =)

ludinha, esqueceu de falar que mesmo as roupas que vc resolve jogar fora você não joga - vc leva a tralha toda lá pra casa na esperança que eu vá querer alguma coisa, usar um tempo, depois decidir que naõ quero mais e te devolver =)