23.6.08

O Caso do Labirinto II

Bem que eu tentei lidar com a crise de labirintite durante o fim-de-semana tomando Dramin de oito em oito horas, mas não funcionou: girar ou sacudir a cabeça continua fazendo o mundo rodar. Eu não queria usar o Vertizine D, que é o que o otorrino recomenda, porque ele me deixa lenta e sonolenta durante vinte dias, mas fiquei sem saída. Depois da terceira noite mal-dormida, na qual a cabeça só podia ser movida lentissimamente no travesseiro, sob pena de um ataque de enjôo, cedi e comprei uma caixa do bendito remédio, que custa cinqüenta reais e deve ser tomada toda. Dessa vez estou inclinada a tomar só metade (dez dias) pra ver o que acontece. Afinal, a última vez que o usei foi durante o mês de abril, e isso não impediu que no início de junho eu tivesse outra crise. E ficar vinte dias babando de sono é danado.

Um comentário:

delilah disse...

não existe tratamento pra labirintite crônica, só pra crises agudas?