12.9.08

O Caso do Protetor Solar

Eu moro em uma cidade na qual faz sol e calor o ano inteiro. A gente nem tem inverno; tem é um “não-verão”, no qual a temperatura baixa um pouquinho, mas os dias continuam ensolarados.

Como eu sou branquelucha, o dermatologista recomendou que eu evitasse a exposição ao sol e usasse protetor solar todo dia (mesmo eu insistindo com ele que eu sou intrinsecamente morena). Só que os protetores solares costumam ser gordurosinhos, e minha pele é oleosa. Além disso, aqui faz um calor danado, o que não ajuda em nada.

Tentei o Episol em gel, e a impressão que eu tinha é que havia um filme plástico sobre o meu rosto. Mudei para a loção e minha pele passou a brilhar loucamente. Arrisquei até um bloqueador da Clinique, mas o danado também é pegajoso.

Eis então que uma colega de trabalho me apresenta o Roche Posay Fluide Extreme FPS 50. Ele é líqüido, espalha fácil e não tem cheiro. E, o mais importante, simplesmente desaparece na pele! Adeus, aspecto brilhoso irritante!

Minha colega comprou no aeroporto de Salvador por 51 reais. Aqui nestas bandas, ele custa 89. O jeito foi aproveitar que minha irmã viajou para os States e mandar entregar no endereço dela duas unidades por 50 dólares (comprei na Amazon). Barganha.

O único inconveniente do Fluide Extreme é que ele é tão sequinho que não serve como hidratante. Aquele descamadozinho típico de invernos secos continua igualzinho. Isso quer dizer que ele não vai servir para minha viagem de fim de ano, na qual vou pegar temperaturas próximas a zero.

Não tem problema. Aproveito para usar os protetores gordurosinhos.

2 comentários:

Delilah disse...

e em vez de encomendar do aeroporto de SSA vc encomendou dos EUA? era o mesmo preço!!! =)

Camilinha disse...

Eu gosto do Fotoequilíbrio livre de óleo da Natura. Além de não ser gorduroso, ainda tem Elastinol, o que ajuda as balzacas à beça! Eu recomendo para o nosso clima.