31.12.08

O Caso do Poder da Bolsa

Ganhei de presente de Natal do maridinho uma bolsa comprada em Viena. Ela é de croco vinho envernizado (sim, o crocodilo original devia ser motivo de galhofa de todos os coleguinhas) e é chique com força.

Não sou só eu que acho. Quando estive em BH precisei ir ao Diamond Mall trocar um outro presente de Natal que não serviu. Lá fui eu alegremente com minha bonita bolsa nova. Toda vez que eu parava na frente de uma vitrine para espiar, uma vendedora corria lá de dentro e vinha me abordar na frente da loja perguntando se eu estava interessada em alguma coisa!

Isso não me acontecia antes. A bolsa faz o povo achar que eu sou uma pessoa de posses.

* * *

Update: descobri o segredo do meu sucesso, quer dizer, do sucesso da bolsa. Ela é uma releitura (não é cópia, não!) da Birkin Bag, uma bolsa da marca francesa Hermès caríssima (e por caríssima quero dizer que custa vários mil dólares).

A minha tem duas alças mais compridas (dá pra pôr no ombro) e um zíper para abrir (a aba é só decorativa). Ou seja, é um aperfeiçoamento da original (por uma fração do preço)!

Nenhum comentário: