28.1.09

O Caso da Liqüidação

Aqui na cidade tem uma loja legal, que vende roupas, bolsas e sapatos de marcas bacanas. Quando ela faz liqüidação, ela reduz o preço de tudo à metade. A promoção começou hoje de manhã e chega a dar fila na porta.

Eu e duas amigas resolvemos conferir o evento na hora do almoço. Tinha fila, mas em 10 minutos conseguimos entrar na loja. Lá dentro, inferno na terra: um monte de mulheres (e alguns homens) se acotovelando na frente das estantes de sapatos. Pilhas de calças jeans sobre as mesas. Nenhuma vendedora à vista.

Depois de algum esforço, localizei três sapatos que me agradaram. Um deles era bonito, confortável e fresco, mas o pé esquerdo estava perdido nas entranhas da loja e depois de procurá-lo duas vezes, desisti. Os outros dois eram lindíssimos, mas tinham saltos muito altos, e portanto não serviriam para trabalhar, que é o que eu estou precisando.

Acabei saindo de mãos vazias, mas não fiquei triste. Ao contrário: estou feliz de perceber que minha nova resolução de gastar mais não me alejou do meu senso prático. Continuo me recusando a comprar coisas de que não preciso.

Mas amanhã volto lá pra paquerar as blusinhas.

Um comentário:

Daniela disse...

E tudo muito mais útil do que fazer psicoterapia =)