2.9.09

O Caso do Experimento Social: Parte 1

Sempre me preocupei com a aparência. Quando eu era adolescente, não podia fazer muito a respeito, porque minha mãe não era vaidosa e só ia ao salão (e me levava) de vez em quando, e só pra cortar o cabelo. Maquiagem quase não existia lá em casa.

E, é claro, eu achava que a falta de vaidade era uma mancha no currículo da minha mãe.

Quando virei uma mulherzinha, lancei-me alegremente às roupas justas, ao corretivo e ao batom. Não saía de casa sem esconder as olheiras, que eu achava enormes (e elas realmente são). E assinava revistas femininas e via programas de moda e lia blogues de maquiagem. Não comprava muito, porque o escorpião no bolso, como diz a irmã D. , não deixava. Mas gastava, e aproveitava as viagens para adquirir produtos de beleza e roupas bacanas. E ficava feliz porque me sentia bonita e aceita e integrada à sociedade.

Aí comecei a ir a uns blogues diferentes e a ler uns textos diferentes e a me perguntar por que é que eu sentia essa obrigação de estar sempre “bonita”. E a questionar porque diabos eu já tinha feito dieta (mais de uma vez!) sendo que eu era magra. E a pensar porque raios eu não podia ir nem na esquina sem esconder as olheiras.

Olha, não tem nada intrinsecamente errado com a moda, as dietas e a maquiagem. O problema é que, para mim, elas tinham se tornado um dever. Eu só recebia amigos em casa com sombra nos olhos e sapato de saltinho. Precisava trabalhar usando base e blush. Às vezes dormia com fome. E estava considerando seriamente em gastar o preço de várias passagens para a Europa em uma bolsa Chanel.

Eu me considero uma pessoa racional. E esses comportamentos não são nada racionais.

Só que, é claro, eu não tirei a obrigação de estar “bonita” só da minha cabeça. Para quase todo lugar que a gente olha (tevê, revista, internet) tem mulher jovem, bonita e esbelta. Os apresentadores de jornal podem ter rugas e cabelos brancos, enquanto as apresentadoras são novas e belas. O Faustão é uma bolota, mas a Ana Maria Braga usa botox e silicone. O Luciano Huck tem nariz de tucano e a Angélica é loira e linda. Estão vendo a mensagem, sem precisar de muito esforço? Mulher, seja bonitona, senão você não tem espaço. Não faz sucesso. Não existe.









X







Continua...

3 comentários:

Anônimo disse...

Aaaaaahhh, nãããão.... não desista das maquiagens! Senão, com quem vou trocar idéias???rs

Bjinho,

Chris

lola aronovich disse...

Ah, esses blogs com ideias esquisitas contra a ditadura da beleza!... Como que pode, né? Onde esse mundo vai parar assim? Abração!

lola aronovich disse...
Este comentário foi removido pelo autor.