21.9.09

O Caso do Menino ou da Menina

Parece que na França é muito comum o casal, durante a gestação, não querer saber o sexo do bebê. Fiquei pensando sobre o assunto e concluí que é uma ótima idéia. Sem saber se é menino ou menina, a mãe e o pai (e os familiares) vão pensar no baby como uma pessoa. Não vão ficar desenvolvendo expectativas do tipo “vai gostar de esporte” (se for garoto), ou “vai gostar de cozinhar” (se for garota). Porque não tem nada nos genes que determine essas preferências, né? É pura construção social.

Outra vantagem: o feto não ganha roupinhas e brinquedinhos “de gênero”. Ou seja, nada de vestidinhos cor-de-rosa. Ou de uniformezinho do exército. Que são danados, né? Porque os estereótipos estão também no nosso inconsciente. Por mais que eu tente ser crítica, tenho certeza que vou (e todo mundo também vai) esperar que uma criança vestida de princesa seja muito mais frágil e mais bem-educada do que se ela estiver usando camuflagem. Já o bebê fantasiado de Rambo vai poder gritar e chutar e correr e todo mundo vai achar lindo.

Então acho que, se eu decidir ter filho(s), não vou querer saber o sexo do bebê até nascer. E enquanto isso vou chamando nem de menino e nem de menina, mas de menine.

Vejam acima atraente menine mostrando a língua para os estereótipos de gênero.

5 comentários:

Anônimo disse...

Ei Lud!

Vou comentar aqui o "O Caso da Cara Limpa" porque não sei se você pra ler comentários nos casos antigos...rs (e também porque não quero comentar de criancinhas, não...rs).
Fora o machismo que gira em torno de salários e tudo mais, que eu condordo muito com você, dizem que, na verdade, as mulheres se vestem bem, se maqueiam e tudo mais pras outras mulheres, e não para os homens... será? Ta aí um caso a se explorar! rs
Bjo,
Chris

Lud&Leo disse...

Oi, Chris!
Concordo! Taí um assunto que merece um post só para si.
Estou trabalhando nisso!
Beijos!

Delilah disse...

naaaaaaaaaaaaaão!
e as tias ansiosas, como ficam?!?!

Anônimo disse...

Pra mim esse bebê já está concebido na imaginação hein???

Ceila Santos disse...

Risos... e como será a construção social do menine?